Núcleo reúne dados de municípios para cobrar da Vale indenização para todos os atingidos por rejeitos de barragem

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Desde o rompimento da barragem B1 de Córrego do Feijão, em Brumadinho, que os municípios mineiros tem trabalhado para que a mineradora Vale S.A., responsabilizada pelo crime ambiental, indenize os atingidos. Em Pará de Minas, por exemplo, será construída uma adutora no Rio Pará para abastecer o município após a contaminação de rejeitos. A obra será custeada pela Vale e deve ser entregue, segundo o Termo de Compromisso (TC) firmado junto ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) por meio da Promotoria de Meio Ambiente da Comarca de Pará de Minas, em julho de 2020.

O município criou também o Comitê de Gestão e Avaliação de Resposta ao Desastre, formado por representantes de vários segmentos da sociedade civil. Eles se reúnem quase que mensalmente para avaliar as medidas tomadas para que a mineradora cumpra o que prometeu além de cobrar novas ações.

Nesta semana mais uma reunião foi realizada e teve a participação do coordenador geral do Núcleo de Assessoria às Comunidades Atingidas por Barragens (NACAB). A organização não governamental existe há dezessete anos e ajuda prefeituras e comunidades atingidas pelos impactos socioeconômicos e ambientais de barragens.

O professor Luiz Fontes foi quem representou o NACAB durante o encontro do Comitê. Desde julho ele está a frente dos estudos para construir o Plano de Trabalho de Assessoria Técnica Independente, para ajudar tantos os municípios como as pessoas a solicitarem as indenizações à mineradora.

O coordenador do Comitê, José Hermano de Oliveira Franco, explicou sobre a vinda do professor, que deu detalhes do que precisa ser feito para que a Vale indenize os atingidos:


José Hermano de Oliveira Franco
josehermanonacab1

Agora é a hora de levantar dados com os municípios. O NACAB irá reunir informações sobre as perdas que cada cidade teve após o rompimento da barragem em Brumadinho. Pará de Minas, por exemplo, foi afetada após a contaminação do Rio Paraopeba, principal fonte de abastecimento de água para o município, além dos danos ambientais causados.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!