Ampliado trabalho de combate ao Aedes Aegypti em Pará de Minas com palestras em escolas, igrejas e empresas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O risco de uma terceira epidemia de Dengue em Pará de Minas é real e imediato. O município já enfrentou a primeira que começou no ano de 1999 e acabou no de 2000. A segunda foi registrada em 2016 com quase 5 mil casos notificados e cinco paraminenses morreram em decorrência da Dengue.

Agora a cidade está em risco médio de enfrentar nova epidemia com base no último Levantamento Rápido do Índice de Aedes aegypti (LIRAa), realizado em janeiro de 2019. O índice comprovou índice de infestação de 2,4% do índice de infestação do mosquito transmissor da Dengue e outras doenças. O índice preocupa, porque o Ministério da Saúde preconiza que para afastar o risco de epidemia de Dengue esse índice deve ficar abaixo de 1%.

Desde dezembro de 2018 a Secretaria Municipal de Saúde vem realizando mutirões de limpeza semanais em bairros de todas as regiões do município de Pará de Minas para recolher materiais que possam acumular água parada.

Em outra frente de atuação a equipe do Departamento de Vigilância em Saúde realiza trabalho de conscientização nas escolas municipais, estaduais e particulares.

Os agentes de combate a Endemias vão até as salas de aulas e explicam aos estudantes como combater o mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Zika vírus e Febre chikungunya, com medidas simples.

Agora este trabalho foi ampliado. Além das escolas, a direção do Departamento de Vigilância em Saúde conversou com os representantes das paróquias do município e tem participado das celebrações de missas repassando dicas importantes aos cidadãos.

No último fim de semana os agentes estiveram em comunidades rurais vinculadas à Paróquia de São Pedro e durante a missa fizeram uma palestra para os fiéis.

Além de falar sobre o mosquito e as consequências das doenças causadas pela picada do inseto infectado, o agente de combate a endemias Rogério Marinho também citou os problemas causados pela água armazenada de forma incorreta:


Rogério Marinho
rogeriopalestraigreja1

O Departamento de Vigilância em Saúde continuará com este trabalho de conscientização, não só nas escolas e igrejas como diretamente nas casas. A cada semana um bairro é visitado por dois dias e é feito um mutirão de limpeza. O objetivo é reduzir o resultado de 2,4% o índice do último LIRAa:

Rogério Marinho
rogeriopalestraigreja2

A palestra ministrada pelos agentes do Departamento de Vigilância em Saúde é gratuita e tanto associações como também escolas, igrejas e empresas podem solicitar. Os interessados podem solicitar os agendamentos de palestras pelos telefone (37) 3236-4909 ou (37) 3231-7722.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!