Corpo de Bombeiros rebate crítica e justifica ação no combate ao incêndio que atingiu três fazendas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

fogo_incendio_fazenda270816a
Na tarde e noite do dia 27 de agosto os militares do 8º Pelotão do Corpo de Bombeiros de Pará de Minas tiveram muito trabalho para controlar um incêndio florestal, registrados em três fazendas localizadas às margens da Rodovia BR-352, em Pará de Minas.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

No combate as labaredas os bombeiros utilizaram 20 mil litros de água, abafadores e bombas-mochilas para controlar o fogo. Foram empenhados seis bombeiros, evitando que as chamas atingissem granjas e residências das propriedades rurais, devido ao incêndio de grande proporção.

A ação do Corpo de Bombeiros foi publicada no Portal GRNEWS e gerou críticas por parte de uma leitora que enviou comentário, demonstrando insatisfação com a ação do Corpo de Bombeiros.

Na mensagem ela disse que quem apagou o fogo foram os funcionários da fazenda. Acrescentou ter ligado para os bombeiros às 15 horas (do dia 27 de agosto), quando estava começando o fogo, mas disseram que avaliariam se poderiam ir. Ela continuou dizendo que passou na porta dos bombeiros às 16 horas e todos os caminhões continuavam lá.

A leitora também relatou que quando os bombeiros chegaram ao local já era noite e o fogo já tinha queimado quase tudo. Todos estavam assustados, pois estava chegando perto das casas. Porém, os bombeiros disseram que o caminhão não poderia chegar perto. Ela ainda ressaltou que “isso, porque o fogo estava super perto das casas” e foram embora por volta das 23h40min., enquanto os funcionários da fazenda ficaram até as 4 horas da manhã de domingo (28) apagando o fogo.

Finalizando a leitora escreveu: “agora, quando pegar fogo por lá, nem adianta ligar para os bombeiros, melhor ligar direto para os funcionários que são mais prestativos, mais rápidos e fazem um trabalho muito mais eficiente“.

Ao visualizarem o comentário desta leitora, outras se manifestaram em defesa da corporação. Um dos leitores escreveu que o comentário o não condiz com a verdade, pois esteve no local do incêndio, como voluntário porque já fez cursos de brigadista, e os bombeiros estavam lá no combate ao incêndio que ameaçava as propriedades e as granjas. Fizeram como sempre um trabalho maravilhoso. Outro reiterou que os bombeiros agiram, pois, também estava em uma das fazendas e viu que os bombeiros se esforçaram e fizeram o que podiam nas proximidades das granjas. Acrescentou que a leitora, certamente, não viu os bombeiro trabalhando e estava levantando falso sobre eles.

fogo_incendio_fazenda270816
Sobre este assunto, a reportagem do Portal GRNEWS procurou o comandante do 8º Pelotão do Corpo de Bombeiros de Pará de Minas, Tenente Renato Brauler Amaral de Deus.

Ele comentou esse caso específico da reclamação feita pela leitora, sobre a atuação dos bombeiros que atingiu três fazendas que destruiu aproximadamente 20 hectares. Também explica como foi à ação dos Bombeiros. Ressalta que em dado momento a guarnição teve que abandonar o local para socorrer uma vítima e depois retornou para dar sequência ao combate ao fogo. Ele acredita que não vê motivos para a reclamação desta cidadã:

Tenente Renato Brauler Amaral de Deus
incendiotenentebrauler1

tenente_renato_brauler_amaral_de_deus110816
O militar disse ainda que em alguns casos o Pelotão do Corpo de Bombeiros de Pará de Minas não tem equipamentos para combater determinados incêndios. Acrescenta que a quantidade de viaturas disponível é maior que o número de guarnições que podem ser empenhadas ao mesmo tempo. Assim, ver viaturas paradas no quartel, não significa que os Bombeiros não estão atendendo chamados:

Tenente Renato Brauler Amaral de Deus
incendiotenentebrauler2

Tenente Renato Brauler Amaral de Deus disse que o Corpo de Bombeiros tem sua responsabilidade, mas os proprietários rurais também precisam realizar ações preventivas para minimizar danos em casos de incêndios florestais. Funcionários das fazendas também podem ajudar no combate ao fogo:

Tenente Renato Brauler Amaral de Deus
incendiotenentebrauler3

O militar disse ainda que para combater um incêndio florestal é necessário o empenho de uma guarnição. Como em Pará de Minas temos apenas duas disponíveis para atuação simultânea, sobra apenas uma equipe para os demais de casos de resgate e salvamento de vítimas. O efetivo é reduzido, para uma demanda alta como a registrada em Pará de Minas:

Tenente Renato Brauler Amaral de Deus
incendiotenentebrauler4

O comandante do Pelotão do Corpo de Bombeiros em Pará de Minas também esclarece que o efetivo da unidade é dividido em três esferas: operacional, prevenção e combate a incêndio e administrativa:

Tenente Renato Brauler Amaral de Deus
incendiotenentebrauler5

Os incêndios florestais, que podem ter origem criminosa, vêm consumindo a vegetação nas áreas rural e urbana de Pará de Minas. Recentemente, repetindo o que ocorreu em anos anteriores, o fogo destruiu a vegetação na Serra da Tabatinga, onde estão instaladas a antenas de retransmissão de sinais de televisão, rádio e celulares.

Importante destacar que as pessoas ao notarem a ação de incendiários podem denunciar através do 190 da Polícia Militar; a Polícia Militar de Meio Ambiente ligando para 198 e acionar o Corpo de Bombeiros através do telefone 193.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!