SAMU encaminhou 17 pacientes ao HNSC na primeira semana e índice elevado de trotes preocupa

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Divulgação/SAMU Oeste

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) completou sua primeira semana de atuação nesta quarta-feira, 14 de junho, na véspera foram apresentados os primeiros dados relativos aos atendimentos prestados nesta etapa inicial de trabalho. O balanço mostra que os dados sistematizados que tem mudado a perspectiva de atendimentos de urgência e emergência nas 54 cidades da Região Ampliada de Saúde (RAS) Oeste.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O SAMU foi inaugurado no dia 6 de junho em Divinópolis com a presença do governador de Minas Gerais Fernando Pimentel e outros políticos envolvidos na implantação do serviço.

As primeiras chamadas para atendimentos chegaram a central sediada em Divinópolis na quarta-feira, 7 de junho, data que o serviço passou a atender a população de Pará de Minas. Desde então, 17 pacientes foram encaminhados pelos socorristas para o Hospital Nossa Senhora da Conceição.

De acordo com o SAMU foram 28 atendimentos em Pará de Minas, com 20 orientações médicas e 10 saídas de ambulância para atendimento. Destaque para nove pacientes com causas traumáticas e dois com problemas psiquiátricos que foram atendidos pelos socorristas.

Divulgação/SAMU Oeste

Trotes preocupam equipes do SAMU
Na primeira semana de atuação, a Central de Regulação das Urgências recebeu 2.647 ligações, segundo o último relatório acessado às 19 horas de terça-feira, 13 de junho. Um dado que tem preocupado é o alto número de trotes, 598, do total das ligações, ou seja, 22,59%.

O SAMU levou durante os primeiros dias de atuação 25 minutos em média, até a chegada da ambulância no local do fato. Este tempo é calculado a partir do momento em que a Central recebe a ligação e que a ambulância chega no local da ocorrência.

Lembrando que a estimativa pelo número de ambulâncias na região e pela extensão territorial dos municípios foi previsto que as ambulâncias chegassem nas ocorrências em até 40 minutos.

Durante a coletiva, o secretário executivo do CIS-URG e coordenador do SAMU, José Marcio Zanardi reforçou que o SAMU é um Serviço de atendimento pré-hospitalar, ou seja, as equipes tripuladas estão aptas a realizar procedimentos que garantam estabilidade de vida até o encaminhamento do paciente para a unidade de saúde mais adequada.

O encaminhamento de cada paciente é feito pela Central de Regulação das Urgências, que diante do relato de quem aciona o 192, empenha uma Unidade de Suporte Básico (USB) ou uma Unidade de Suporte Avançado (USA).

Neste caso, a equipe da Central também faz o encaminhamento para a unidade de saúde que poderá no melhor tempo dar suporte a cada caso, como relata o diretor médico do SAMU, Marco Aurélio Lobão.

A diretoria do SAMU enfatiza que, cumprindo o seu objetivo regionalizado, o Serviço atendeu nesta primeira semana ocorrências originadas de 34 municípios da região.

Divulgação/SAMU Oeste

SAMU
Gerenciado pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde da região Ampliada Oeste (CIS-URG), o SAMU tem o objetivo de chegar à vítima após ter ocorrido alguma situação de urgência ou emergência no menor tempo possível.

Para dar agilidade aos atendimentos, o Serviço conta com uma frota de 31 ambulâncias distribuídas em 24 municípios, que dão suporte total a 54 cidades que integram a Região Ampliada de Saúde (RAS) Oeste.

As ambulâncias são do tipo Unidade de Suporte Básico (USB), que são tripuladas por um técnico de enfermagem e um condutor socorrista. Além desses veículos, também há sete Unidades de Suporte Avançado (USA), tripuladas por um médico, um enfermeiro e um condutor socorrista.

As cidades que contam com os veículos foram escolhidas com base em estudos de viabilidade, sendo que a logística dessa distribuição foi feita para que se situem em pontos estratégicos, de forma que o tempo entre a chamada recebida pelo 192 e a chegada da ambulância seja de até 40 minutos em qualquer ponto da região. Para a escolha também foram levados em consideração os acessos, estradas, rodovias e estradas rurais.

Em Divinópolis estarão disponíveis três ambulâncias, sendo duas Unidades de Suporte Básico (USB) e uma Unidade de Suporte Avançado (USA). Uma USB estará posicionada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e uma USA e USB estarão disponíveis na Central de Regulação das Urgências, situada no Centro da cidade.

Rede resposta Hospitalar
O SAMU conta com uma complexa rede de atendimentos em 18 unidades hospitalares da região, cuja finalidade é otimizar recursos humanos, financeiros e tecnológicos, a fim de viabilizar no menor tempo possível o atendimento aos pacientes.

A escolha da Rede Hospitalar foi feita após uma análise de viabilidade e levou em consideração diversos critérios. José Marcio Zanardi esclarece que os hospitais não contratualizados e que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS), estão aptos a prestarem atendimentos normalmente em caso de necessidade, o que será avaliado pela Central de Regulação das Urgências em Divinópolis.

Rede de hospitais conveniados
O SAMU atende uma população de mais de 1,2 milhão de pessoas que são direcionadas aos seguintes hospitais: Hospital São João de Deus – Divinópolis
Hospital São Luis – Formiga
Santa Casa – Campo Belo
Hospital São Judas Tadeu – Oliveira
Hospital Manoel Gonçalves – Itaúna
Hospital Nossa Senhora da Conceição – Pará de Minas
Hospital São Carlos – Lagoa da Prata
Hospital Regional São Sebastião – Santo Antônio do Amparo
Hospital Santa Casa – Bom Despacho
Hospital Senhora Aparecida – Luz
Santa Casa de Misericórdia – Santo Antônio do Monte
Santa Casa de Misericórdia – Dores do Indaiá
Santa Casa – Itaguara
Hospital Municipal São Francisco – Iguatama
Santa Casa – Itapecerica
Hospital Nossa Senhora do Brasil – Bambuí
Santa Casa de Misericórdia – Pitangui
Hospital São Gabriel – Passa Tempo
Com informações da assessoria de Comunicação do SAMU.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!