Intervenção no HNSC completa dois anos e continuará até novembro de 2020 para manter serviços de saúde

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

10 de novembro de 2017. Este data ficou marcada na história de Pará de Minas após a prefeitura decretar intervenção no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC). Os problemas envolvendo a instituição de saúde são antigos. Falta de pagamentos a fornecedores e médicos; atrasos nos repasses municipais, estaduais e federais; falta de manutenção na estrutura; e segundo a administração municipal, falta de gerência.

O único hospital de Pará de Minas e um dos maiores e mais bem equipados da região, atende pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) de nove municípios da microrregião e também convênios. Por várias vezes os médicos declararam que parariam as atividades por falta de pagamento e a população, que precisa de atendimento digno e gratuito, teve medo. Os serviços básicos foram paralisados e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) era a salvação dos paraminenses.

Após muitas conversas e tentar um acordo amigável com a diretoria do HNSC, que segundo o prefeito não queria prestar contas das verbas repassadas, o Município decretou intervenção.

À época, o ex-secretário Municipal de Saúde Paulo Duarte foi nomeado interventor e passou a conversar diariamente com os profissionais do HNSC. O pagamento foi regularizado após alguns acordos mas ainda falta quitar dívidas antigas. Em seguida, o prefeito Elias Diniz (PSD) nomeou novo interventor e desde então Clelton de Faria Pacheco está a frente da instituição.

Dois anos após a intervenção, a população elogia o atendimento prestado pelo hospital, a Prefeitura continuará a frente da administração daquela unidade de saúde.

No dia 12 de novembro de 2018 o prefeito Elias Diniz fez uma avaliação do trabalho desenvolvido no HNSC e na ocasião afirmou ao Portal GRNEWS que a intervenção seria prorrogada por mais 24 meses, ou seja, com vencimento em 10 de novembro de 2020.

Sobre isso a reportagem do Portal GRNEWS conversou com o secretário Municipal de Saúde Wagner Magesty. Apesar de ter assumido o cargo há pouco tempo, ele avalia que o Município deve continuar com a intervenção no hospital:


Wagner Magesty
wagnermagestyinterv1

As dívidas do hospital se acumulam ao longo dos anos e a administração tenta diminuir os valores para manter as contas em dia.

O secretário explica que repasses através de emendas parlamentares ajudam na manutenção do HNSC e no pagamento de profissionais:

Wagner Magesty
wagnermagestyinterv2

Após vários esforços, o Município deixou de comprar exames e cirurgias em outras cidades da região e na medida possível, é feito convênio com o HNSC para injetar dinheiro na instituição e facilitar a vida dos pacientes da cidade:

Wagner Magesty
wagnermagestyinterv3

O secretário Wagner Magesty anunciou outra novidade relacionada à saúde. Antes, quem reside no Bairro Matinha tinham que se deslocar até o Bairro Serra Verde para usufruir dos serviços da Unidade Básica de Saúde. Nesta semana os atendimentos foram retomados na própria comunidade, facilitando a vida dos moradores.

Mas outra notícia envolvendo o HNSC tem preocupado a população paraminense e foi tema de discussões e questionamentos feitos pelos vereadores durante a reunião da Câmara Municipal de Pará de Minas: a possibilidade de venda para fins comerciais do terreno da capelinha do hospital. A população não quer nem ouvir falar dessa possibilidade e muitos argumentam que administrar vendendo patrimônio é muito fácil.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!