Aumentam denúncias de cheiro insuportável nas ruas de Pará de Minas, biólogo orienta como resolver

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

É comum em certos pontos da cidade os paraminenses sentirem odores diferentes. Moradores reclamam deste mau cheiro e acreditam ser um esgoto a céu aberto, mas não veem nada. Nestes casos a Prefeitura é acionada e quando a Vigilância em Saúde chega ao local constata uma falha que acontece há décadas e nem todo mundo se preocupa: por causa do desnível nos bairros, a água servida de uma residência cai na casa da rua debaixo e isso ocasiona vários problemas.

Esta água usada não mantém mais suas características naturais e provocam mau cheiro, atraem animais peçonhentos, além de degradar o meio ambiente, pois fica exposta na via pública.

Esta situação se tornou comum em Pará de Minas e de acordo com o biólogo Adelmo Batista Lemos, membro da equipe de Vigilância em Saúde, a população deve ficar atenta aos quintais e às tubulações.

O ideal é fazer dois ralinhos nos fundos de casa. Um ligado à rede pluvial, para que toda água da chuva seja levada para seu destino correto, e outro para o esgoto, para que a água reutilizada seja encaminhada para a Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) que fará seu papel:


Adelmo Batista Lemos

adelmoblaguaservida1

Outro problema diagnosticado por Adelmo Batista Lemos é que em muitas visitas realizadas após as denúncias, ele constata que a tubulação é coletiva, ou seja, não é possível apontar o culpado e o morador da parte baixa é quem sai prejudicado:

Adelmo Batista Lemos
adelmoblaguaservida2

Quem quiser informações sobre como fazer as ligações estruturais corretamente pode ligar na Vigilância Sanitária no telefone (37) 3231-7722.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!