Presidente da ASCIPAM quer apoio para impedir realização de Feira de Couros e Malhas em Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


Há muitos anos que a Associação Empresarial de Pará de Minas (ASCIPAM) vem investindo pesado na promoção de campanhas para aquecer o comércio local e atrair consumidores de toda a região.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

A Mega Prêmios o Ano Inteiro já sorteou até apartamento com carro na garagem. Todas as datas comemorativas do ano são contempladas com sorteios de premiações de altos valores e os recordes continuam sendo batidos.

Outra medida tomada pela entidade de classe tem como objetivo combater o comércio irregular de ambulantes. São vendedores que veem de outras regiões de Minas Gerais e de outros estados e levam o dinheiro do município.

Na maioria dos casos eles não solicitam o alvará da prefeitura para trabalhar, deixando de recolher impostos. Um inspetor da ASCIPAM percorre as ruas todos os dias e repassa os casos para a fiscalização do município.

Desta vez está sendo organizada uma Feira de Couros e Malhas no ginásio poliesportivo do Clube Praça de Esportes do Pará. O alvará foi solicitado por parte dos organizadores do evento.

Preocupado com os impactos que o comércio paraminense pode ter, José Misael de Almeida, presidente da ASCIPAM, procurou o prefeito Elias Diniz (PSD) nesta segunda-feira, 25 de junho, para tratar do assunto.

O chefe do Poder Executivo ouviu os questionamentos do presidente da ASCIPAM em relação à feira e decidiu não liberar o alvará. José Misael de Almeida também procurou a Câmara Municipal e fez uso da tribuna livre.

Ele aproveitou a oportunidade para pedir o apoio dos vereadores na luta contra a Feira de Couros e Malhas. Enquanto a ASCIPAM investe na decoração das ruas e comerciantes de fora planejam vir a Pará de Minas para levar recursos embora:


José Misael de Almeida
feiradecourosjosemisael1

O representante do comércio, indústria, agronegócio e prestação de serviços considera a realização da feira em Pará de Minas uma injustiça com os empresários que geram emprego e renda no município:

José Misael de Almeida
feiradecourosjosemisael2

No ano de 2003 a Câmara Municipal aprovou uma lei que dificulta a realização destes tipos de eventos na cidade devido as muitas exigências previstas. Até um médico de plantão 24 horas é obrigatório.

De acordo com o vereador Marcos Aurélio dos Santos (DEM), que participou do processo na época, a norma foi bem elaborada e teve como objetivo combater grandes feiras que levam recursos embora do município.


Marcos Aurélio dos Santos
feiradecourosmarcosaurelio

O vereador Dilhermando Rodrigues Filho (PSDB) considera um absurdo a realização de uma feira de empresários de fora enquanto os paraminenses lutam para manter as portas abertas e também cobra a não liberação do alvará:


Dilhermando Rodrigues Filho
feiradecourosdilhermandofilho

Essa questão de “levar dinheiro embora de Pará de Minas” é controversa. Muitos comerciantes também reclamam de festas no Parque de Exposições Francisco Olivé Diniz. Argumentam que artistas, barraqueiros e empresários de fora levam o dinheiro de Pará de Minas daqui por ocasião destes eventos. Com isso o comércio, a exceção de um ou outro setor que fatura com as festas, demora dois ou três meses para recuperar o volume de vendas. Porém, até o momento ninguém se manifestou contra a realização de festas no parque de exposições.  Tem também outros que consideram essa medida proibitiva ineficaz, pois, muitos paraminenses, inclusive comerciantes, deixam a cidade quando desejam para comprar em feiras que ocorrem fora do município e também em shopping centers da Região Metropolitana de Belo Horizonte e ninguém pode fazer nada para impedir que gastem o dinheiro da maneira que quiserem. O assunto é complexo e com muitas opiniões distintas.

Fato é, que sobre o manifesto feito na noite desta segunda-feira (25) na Câmara Municipal pelo presidente da ASCIPAM, José Misael de Almeida, os vereadores ficaram de reforçar o pedido junto ao prefeito de Pará de Minas na manhã desta terça-feira (26).

Além desse debate, durante a reunião Ordinária desta segunda-feira (25) foram aprovados dois projetos. Um deles é o Projeto de Resolução N°01/2018, de autoria do vereador Marcílio Magela de Souza, autoriza o Poder Legislativo a adquirir e a afixar o retrato de José Misael de Almeida na Galeria de Benfeitores de Pará de Minas.

Outro Projeto de Resolução N°04/2018, de autoria do vereador Gladstone Correa Dias, autoriza a afixação do retrato de Nélson Melo Franco também na Galeria de Benfeitores. Também foram aprovados 38 requerimentos.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!