Crimes de falso sequestro e pedidos de ajuda fazem vítimas em Pará de Minas; Delegado orienta como agir

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Cada vez mais é comum vermos nos noticiários ocorrências envolvendo extorsão. Tem os pedidos de ajuda, onde uma pessoa se passando por um amigo pede dinheiro emprestado e até mesmo o falso sequestro, quando em uma ligação o bandido diz que está com um parente próximo e a pessoa deve pagar um valor para ter de volta o ente querido.

O crime não tem idade e já fez vítimas de todas as classes sociais. Se antes este tipo de ação ocorria nos grandes centros urbanos, agora é realidade nas pequenas cidades do interior.

O crime é qualificado como extorsão e o autor pode ficar preso de um a quatro anos e ainda pagar multa.

Mas como a maioria dos casos é pelo celular fica difícil encontrar o autor, e até mesmo por isso é preciso ficar ainda mais atento e prestar atenção a detalhes.

O delegado regional da Polícia Civil de Pará de Minas, Carlos Henrique Gomes Bueno, alerta que a pessoa não deve repassar nenhuma informação pessoal e ficar calmo durante a ligação:


Carlos Henrique Gomes Bueno
carloshenriqueextorsao1

Já em relação ao crime de falso sequestro é preciso ficar ainda mais tranquilo e fazer perguntas pessoais à pessoa no telefone:

Carlos Henrique Gomes Bueno
carloshenriqueextorsao2

Identificar estes bandidos está cada vez mais difícil graças também à tecnologia. Segundo o delegado regional, as contas bancárias são abertas com dados falsos o que praticamente impossibilita a Polícia Civil de encontrar os bandidos:

Carlos Henrique Gomes Bueno
carloshenriqueextorsao3

Por isso fique atento a qualquer ligação diferente que receber. Não se esqueça de manter a calma e fazer perguntas pessoais para quem está ligando. É importante ainda não fornecer nenhum dado.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!