Carga tributária cobrada pelo governo é a vilã do alto preço dos combustíveis, diz proprietário de posto

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


No mês passado o país inteiro ficou praticamente parado durante duas semanas. A paralisação geral dos caminhoneiros provocou o desabastecimento em todas as regiões do Brasil e teve efeitos devastadores na economia.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

A categoria reivindicava o reajuste no preço dos fretes e a queda no valor do óleo diesel comercializado nos postos de combustíveis. Os trabalhadores alegaram que a situação estava insustentável para continuar.

A população aproveitou o movimento para demonstrar a insatisfação com a política adotada pela Petrobras e apoiou a paralisação. Aproveitaram para manifestar revolta com o governo do presidente Michel Temer (MDB-SP).

A equipe econômica do governo se reuniu e anunciou algumas medidas para atender as reivindicações dos caminhoneiros. Uma delas foi à redução do preço do litro do óleo diesel em R$ 0,46 nas bombas durante um período de 60 dias.

Mas, a gasolina e o etanol continuaram com os mesmos valores. Muitos proprietários dos veículos movidos a diesel também reclamam que o desconto não chegou ao consumidor final como estava previsto.

Boa parte da nação não consegue entender porque a Petrobras vende combustíveis para outros países com o valor bem mais baixo. Uma verdadeira afronta ao sofrido povo brasileiro.

De acordo com Geraldo Magela de Almeida, proprietário de postos de combustíveis em Pará de Minas, o maior vilão no valor final é alta carga tributária. Em Minas Gerais o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) é ainda mais caro:


Geraldo Magela de Almeida
tributosgeraldomagelaalmeida1

Os consumidores podem verificar a quantidade de impostos que é cobrada no junto com os combustíveis através do cupom fiscal. Com a chamada substituição tributária, o estado recolhe do dono de posto no ato da compra do produto na refinaria:

Geraldo Magela de Almeida
tributosgeraldomagelaalmeida2

Além dos impostos, os postos também tem despesas altas com normas trabalhistas, ambientais, de segurança, entre outras. Tudo isso gera custos que precisam ser pagos com o preço final do combustível:

Geraldo Magela de Almeida
tributosgeraldomagelaalmeida3

Nos últimos dias foi anunciada uma leve queda no preço do litro da gasolina. Porém, nada que fosse motivo para os proprietários de veículos comemorarem. O combustível continua custando quase R$ 5,00 o litro.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE