MG tem quase 290 mil casos prováveis de Dengue em MG e mais de 1.800 foram notificados em Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgou nesta terça-feira, 21 de maio, mais um Boletim Epidemiológico da Dengue em Minas Gerais.

Até agora o estado registrou 289.500 casos prováveis da doença, que são os confirmados e suspeitos. Entre as confirmações, 49 óbitos e na região de Pará de Minas há registros em Martinho Campos e São Gonçalo do Pará. Outros 97 óbitos estão em investigação para saber se a morte ocorreu por causa da dengue.

Após o Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) divulgado pelo Portal GRNEWS na segunda-feira (20) Pará de Minas continua em estado de alerta com o resultado de 2,4% quanto a incidência de focos do transmissor da Dengue, encontrados principalmente nas residências.

Quanto ao boletim da SES, Pará de Minas registrou oficialmente até o momento 1.857 casos prováveis de dengue. Só na primeira semana de maio foram contabilizadas 325 notificações, enquanto na segunda semana 193 e na última, 24. Índice considerado muito alto para uma população de 93.101 pessoas.

Enquanto isso Itaúna que tem 92.531 habitantes registrou até agora 420 casos prováveis da doença e Divinópolis com 235.977 moradores tem 2.149 notificações.

Os números disponibilizados pela SES são atrasados. É que o município envia as notificações ao estado para contabilizar os dados, mas a demora é de em média dez dias, por isso há probabilidade das notificações em Pará de Minas terem chegado às duas mil.

A Secretaria de Estado de Saúde informou ainda que adotou uma série de medidas para apoiar os municípios que apresentam aumento no número de casos tanto de dengue, como da Febre chikungunya e também de Zika vírus.

Entre as medidas a SES declarou Situação de Emergência em Saúde Pública em vários municípios mineiros, a exemplo de Pará de Minas, que com o decreto pretende conseguir mais recursos do governo estadual para a contratação de novas equipes de combate a endemias e a compra de materiais e medicamentos utilizados no tratamento dos pacientes com suspeita da doença.

A população também deve continuar fazendo sua parte e pelo menos uma vez na semana olhar todos os locais de casa que possa se tornar criadouro do Aedes aegypti. É importante ainda ficar atento aos mutirões de limpeza que são realizados semana pela equipe da Vigilância em Saúde.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!