JK, Centro e Recanto tem maior número de casos de COVID-19; maioria dos pacientes tem entre 20 e 29 anos

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O primeiro caso de COVID-19 em Pará de Minas foi confirmado no dia 25 de março quando duas pessoas testaram positivo para a doença. Desde então os números tem aumentado consideravelmente. O Portal GRNEWS teve acesso ao perfil epidemiológico dos casos confirmados na cidade até o dia 18 de agosto, quando Pará de Minas contabilizava 296 registros positivos.

A maior quantidade de casos em 24 horas foi registrada nos dias 27 de julho, quando a cidade teve 20 novos registros confirmados. e no dia 1º de agosto, com 18 novos casos.

Entre estes casos confirmados, 37 possui algum tipo de comorbidade. A maioria é diabetes, seguida por doença cardíaca, asma, hipertensão arterial e doença respiratória crônica.

Pará de Minas segue também a tendência estadual com homens sendo a maioria dos casos, sendo 157, e 139 mulheres.

O Portal GRNEWS apurou também que a faixa etária com maior incidência é de 20 a 29 anos, seguido por pessoas entre 40 e 49 anos com 62 casos. Cinco casos foram registrados em paraminenses entre 10 e 19 anos.

Os bairros JK e Centro são os que têm maior número de casos confirmados em Pará de Minas com 25 registros desde o início da pandemia cada um. Depois vem o Recanto da Lagoa com 21 casos, São Cristóvão com 14 e Nossa Senhora das Graças com 12 confirmações.

Entre os bairros que não confirmaram casos estão Califórnia, União, Paraíso, Vila Santa Isabel, Bela Vista, Jardim Serra Dourada, São Geraldo, Cecília Meireles, Azambeque, Serra Verde, Rodoviário, Eldorado, Várzea, Jardim e Dona Flor.

A zona rural também registrou casos de COVID-19 sendo 10 em Meireles, nove em Ascensão, oito em Tavares, seis em Torneiros, e um em Matinha.

Os dados apurados pelo Portal GRNEWS também mostram que apenas 10 pacientes tiveram os sintomas mais graves da doença. O Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) possui atualmente 22 leitos clínicos e 10 leitos de Centro de Tratamento Intensivo (CTI). Dos 22 clínicos até 17 de agosto, 63,63% estavam ocupados, ou seja, 14. E dos intensivos, cinco estavam ocupados no dia 17, ou seja, 25% da capacidade total.

A Secretaria Municipal de Saúde também mantém uma aferição de dados precisa por macro e microrregião após aderir ao plano Minas Consciente do governo estadual. Para se manter na Onda Amarela são monitoradas as taxas de incidência de COVID-19, de ocupação de leitos de CTI adulto e de ocupação de pacientes com o novo coronavírus, além da quantidade de leitos por 100 habitantes, a positividade atual através do exame RT-PCT e as porcentagens de aumento de incidência e de positividade dos testes. Com isso a tomada de decisão passa a ser semanal.

De acordo com o monitoramento, atualmente a incidência de casos confirmados é de 45,4% e a positividade atual de 25% de aumento. Quanto aos atendimentos, 59% dos leitos da microrregião estão ocupados por pacientes que testaram positivo.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!