Construção civil está aquecida, mas empresários do setor se preocupam com falta de produtos e preços

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, os empresários do setor da construção civil constaram o aumento da demanda. Ajuda dos governos à população e mais gente em casa vendo que era necessário melhorar alguma coisa na estrutura da residência, fez crescer a procura por produtos.

Dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostram que o setor fechou 2020 com aumento de 10% nas vendas em relação a 2019.

O Papo com Geraldo Rodrigues – PGR – programa exibido de segunda a sexta-feira, de 13 às 15 horas no canal grnewsnoticias no Youtube, recebeu o empresário Geraldo Magela Matos, o Magela da Hidrolar, que falou sobre o assunto.


Segundo ele, o mercado imobiliário está aquecido e com isso os materiais de construção subiram consideravelmente, desde a ponta, com o preço alto já saindo da indústria:

geraldommconstcivi1

Além do preço alto, os empresários estão convivendo também com a falta de produtos. Para Geraldo Magela Matos, a indústria não esperava tanta demanda, e não somente no setor da construção civil, mas no geral, em outros setores:

Geraldo Magela Matos
geraldommconstcivi2


Mesmo em meio à pandemia, o mercado continuou inovando e trazendo novos produtos para a população em geral:

Geraldo Magela Matos
geraldommconstcivi3

Em contrapartida, a construção civil foi o setor que mais demitiu em Pará de Minas em abril, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O saldo naquele mês foi negativo em 32 empregos, sendo contratadas 51 pessoas, enquanto 83 trabalhadores foram dispensados.

A Hidrolar – A loja do Magela – está localizada na Rua Manoel de Sousa, 53, bairro Santo Antônio. Contatos pelo telefone (37) 3232-5599; WhatsApp (37)99974-9955 ou pelo Instagram ahidrolar.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!