Presidente do Sindicato Rural de Pará de Minas repudia samba-enredo de escola do Rio de Janeiro

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Divulgação/G.R.E.S. Imperatriz Leopoldinense

O carnaval do Rio de Janeiro já é alvo de polêmica, antes mesmo de começar. Desta vez a repercussão negativa ocorreu com a divulgação do samba-enredo da escola de samba Imperatriz Leopoldinense.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O samba “Xingu: o clamor que vem da floresta”, composto por Moisés Santiago, Adriano Ganso, Jorge do Finge e Aldir Senna, exaltando a luta dos povos indígenas e alerta para os riscos que sofrem as etnias nativas. Segundo a agremiação, o tema não faz nenhuma crítica ao agronegócio.

O desfile da escola também vai levar para a avenida as alas que mostrarão as ameaças sofridas pelos índios. A mais polêmica de todas leva o nome de “Fazendeiros e seus agrotóxicos”.

Segundo as lideranças do agronegócio, as atividades no campo estão sendo colocadas como responsáveis pela degradação do meio ambiente e consequentemente afetando a vida de toda a população mundial.

Já os carnavalescos da agremiação explicaram que o “Belo Monstro” citado no samba-enredo é uma referência aos impactos ambientais provocados pela construção da Usina de Belo Monte.

Em relação à ala dos “Fazendeiros e seus agrotóxicos”, se trata de uma crítica ao uso abusivo de agrotóxicos. Mas a explicação não convence a grande maioria dos produtores rurais do país.

Eugênio Mendes Diniz, presidente do Sindicato Rural Patronal de Pará de Minas, disse repudiar o samba apresentado pela escola. Para ele a letra do enredo é uma vergonha e uma inverdade:

Eugênio Mendes Diniz
enredoeugeniomendesdiniz1

O sindicalista ressalta que o agronegócio tem mantido o país durante muitos anos, gerando emprego e renda. Para ele os carnavalescos estão fazendo uma verdadeira demagogia usando o homem do campo:


Eugênio Mendes Diniz
enredoeugeniomendesdiniz2

Ele cita que a cerveja e até as fantasias confeccionadas para o desfile tem a contribuição do agronegócio. Os produtores rurais repudiam o samba-enredo e torcem para que a escola tenha a premiação que merece:

Eugênio Mendes Diniz
enredoeugeniomendesdiniz3

A Imperatriz Leopoldinense divulgou uma nota explicando que no ano passado desfilou com uma ala dedicada a agricultura e ao homem do campo. A agremiação nega qualquer ataque ao agronegócio.

Ouça o samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense para o Carnaval 2017
Faixa 6

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!