Com 881 votos para o Legislativo paraminense e situação indefinida, Zezé Porfírio recorre ao STF

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

José Porfírio de Oliveira Filho, mais conhecido como Zezé Porfírio (PV), é atualmente o vice-prefeito de Pará de Minas. Nas eleições do dia 15 de novembro concorreu a uma vaga no Legislativo. Há anos militando na política e com familiares conhecidos do meio, como o pai, o ex-prefeito José Porfírio, ele decidiu se candidatar e obteve 881 votos.

Estaria eleito caso sua candidatura não tivesse sido indeferida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). É que ele responde a um processo por improbidade administrativa. Em 2011, enquanto prefeito, realizou uma licitação para o carnaval que seria realizado na cidade. Após análise do financeiro e também do jurídico municipal, ficou constatado que contratar três serviços, como palco e banheiro químico de uma mesma empresa, sairia mais barato para os cofres públicos. E foi isso que ele fez.

Mas segundo a Justiça, mesmo o Município pagando menos, isto não poderia ter ocorrido e por isso o prefeito da gestão é processado.

Quando a candidatura foi indeferida, Zezé Porfírio recorreu nas instâncias estaduais mas perdeu.

Conforme apurado pelo Portal GRNEWS, a lei da Ficha Limpa é que impede Zezé Porfírio de tomar posse. Com o registro indeferido, ele teve seu nome cadastrado na urna que computou os votos, porém, enquanto a situação dele não for resolvida, ele não está eleito.

Zezé Porfírio recorreu então em Brasília e o Supremo Tribunal Federal (STF) é quem decidirá a situação dele. A expectativa é que seja resolvido até o final do ano para caso o resultado seja favorável a ele, tome posse no dia 1º de janeiro.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!