Em menos de 20 dias Pará de Minas registrou quase 1.000 novos casos prováveis de Dengue

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Os números crescem a cada semana e preocupam poder público e paraminenses. Se 2019 começou tranquilo para Pará de Minas os dados atualizados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) não são tão animadores.

No Boletim Epidemiológico da Dengue divulgado em 14 de janeiro, nenhuma notificação havia sido registrada na cidade. Já no dia 11 de fevereiro, a situação era considerada de baixa incidência com 44 casos prováveis.

A situação começou a piorar em março. No boletim do dia 25 daquele mês, eram 223 notificações e a incidência era média.

Em abril, no dia 15, eram 390 casos prováveis. Em 26 de abril novo boletim foi apresentado e os números começaram a aumentar consideravelmente, passando para incidência muito alta com 633 notificações.

Em maio a incidência continuou muito alta. No dia 6 os números apontavam 1.012 notificações, aumento de 60% dos casos em uma semana. No dia 13 de maio, eram 1.330 casos prováveis da doença em Pará de Minas.

Mas de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde o número é maior, passando para 1.627 casos prováveis, que incluem os confirmados e em investigação.

O município decretou no dia 7 de maio situação de emergência na saúde pública e com isso poderá comprar materiais para tratamento de pacientes e até mesmo contratar equipes de limpeza para ajudar no combate a focos do mosquito Aedes aegypti.

Falando neste combate, a Secretaria intensificou desde o final de 2018, quando foi realizado o Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) e o resultado serviu como alerta com índice de 2,4%, ações de combate ao mosquito. Mutirões de limpeza são realizados semanalmente e todos os bairros já foram contemplados. Toneladas de materiais inservíveis que acumulam água são retiradas.

Outra ação já realizada pelo município é a ampliação do horário de atendimento de Unidades Básicas de Saúde (UBS) e na Policlínica. Para diminuir a espera na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), as UBS ficam abertas até mais tarde durante toda a semana, e aos sábados a Policlínica abre as portas para atender casos suspeitos.

Mas nada adianta todo o planejamento e intensificação nas ações se cada paraminense não fizer sua parte. O município viveu duas epidemias de Dengue e infelizmente, a terceira está aí para provar que todo mundo deve tirar alguns minutos do dia para limpar a casa e o quintal. É imprescindível que cada morador faça seu papel e tenha responsabilidade pela cidade.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!