Risco de epidemia de Dengue em Pará de Minas é alto, alerta prefeitura

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


O prefeito Elias Diniz tomou posse na noite de 1º de janeiro de 2017 e sua primeira ação como gestor municipal na manhã de 2 de janeiro, foi um encontro com o secretário municipal de Saúde, Gilberto Denoziro Valadares da Silva, e toda equipe que atua no combate à Dengue.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O secretário informou aos agentes que a partir daquela data teriam novo comando e também seria completamente alterado o método que vinham utilizando para combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Febre chikungunya, Zica vírus e também Febre Amarela. Disseram ainda que mutirão é retrabalho.


Na ocasião, a Secretária Municipal de Saúde destacava que o índice de 2,4 registrado pelo último LIRAa (Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti), detectado em novembro de 2016, era preocupante.

Os números mostravam que o potencial de reprodução das larvas que poderão gerar novos mosquitos. O Ministério da Saúde pede intensificação no combate ao mosquito Aedes aegypti quando este índice é superior a 1%, pois, a partir deste percentual existe risco de epidemia de Dengue. Durante o trabalho dos agentes de endemias, foi encontrado um grande foco do mosquito transmissor da Dengue no bairro Senador Valadares.


Na tarde desta terça-feira, 17 de janeiro, a Prefeitura de Pará de Minas enviou nota ao Portal GRNEWS informando que o risco de epidemia de Dengue no município é alto.

A nota destaca que a Secretaria Municipal de Saúde acaba de divulgar os dados do Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), realizado entre os dias 9 e 13 de janeiro de 2017, que apontou percentual de 4,8%.


Tomando por base a orientação do Ministério da Saúde, na qual índice do LIRAa acima de 1% traz riscos, a Secretaria Municipal de Saúde enfatiza que o resultado do levantamento significa que é alto o risco de uma epidemia de Dengue em Pará de Minas. O estudo foi feito em 1774 imóveis, das zonas urbana e rural do município.

A mesma nota cita que coordenador do trabalho de combate a Dengue em Pará de Minas, Adilson José Batista, confirma o início do tratamento químico dos focos encontrados do mosquito Aedes aegypti. O coordenador disse ainda que a partir desse número preocupante do último LIRAa serão ampliadas em Pará de Minas para combater o mosquito Aedes aegypti que transmite a Dengue, Febre Chikungunya, Zica vírus e Febre Amarela.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!