Fiscalização intensificada para combater furto de gado e transportador precisa da GTA para carga de animais

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Cresceu consideravelmente nos últimos meses o furto e roubo de gado na região de Pará de Minas e vários municípios do Centro-Oeste de Minas Gerais. Quando as polícias Militar ou Civil suspeitam de algum caminhão transportando animais, o veículo é parado para averiguação de documentação e da carga.

Um dos documentos imprescindíveis que comprovam a origem da carga é a Guia de Trânsito Animal (GTA), uma espécie de nota fiscal dos animais, mostrando de onde veio e para onde ele será levado.

Para equinos, suínos, aves e bovinos é necessário tirar a GTA no Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e pagar uma taxa que é calculada conforme a quantidade de animais transportados.

O médico veterinário do IMA, Gustavo Ribeiro Fonseca, falou sobre o assunto ao Portal GRNEWS. Ele explica como o produtor ou transportador devem proceder para emitir a GTA, obrigatória em todos os transportes:

Gustavo Ribeiro Fonseca
gustavoribeirotranspanimais1


O transportador do gado que não portar a GTA e não conseguir comprovar a origem dos animais, terá a carga abatida.

No caso de aves transportadas sem a Guia, caso a Polícia Militar pare o veículo, a carga também vai pro abate e o transportador ou proprietário ficam no prejuízo:

Gustavo Ribeiro Fonseca
gustavoribeirotranspanimais2

A Guia de Trânsito Animal para transporte de aves custa R$ 43,12 por carga; já o suíno até 20 animais transportados tem o custo de R$ 1,80 e acima de 20, R$ 43,12 por carga.

Já equinos até cinco animais, o valor é R$ 8,84 por cabeça, e acima de cinco, R$ 1,80. O transporte de bovinos de produtor para produtor rural custa R$ 1,80 por animal, e para abate o valor chega a R$ 2,87 por cabeça.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!