Antônio Júlio está apreensivo, independentemente do resultado da votação do impeachment

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

antjul_mnfst
Começou nesta sexta-feira (15) e vai até domingo o processo de discussão e votação do relatório do deputado federal Jovair Arantes (PTB-GO) que é favorável ao impeachment da presidente da república, Dilma Rousseff.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O documento foi aprovado pela Comissão Especial do processo com 38 votos a favor e 27 contra. A matéria vem sendo debatida em plenário desde a sessão que começou às 8h55 desta sexta.

Diversos parlamentares da situação e a oposição ocupam a tribuna do Poder Legislativo para discursar sobre as acusações. A partir das 14h de domingo o presidente da casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) iniciará a votação nominal.

Cada deputado será chamado e dará o voto aberto. Enquanto isso vem acontecendo manifestações em todas as regiões do país. Em Brasília o governo distrital providenciou um esquema de segurança junto com a Polícia Militar.

O evento histórico na política brasileira terá um desfecho neste final de semana. Se for aprovado, o processo continuará no Senado Federal, onde terão que ser obedecidos os trâmites legais.

Antônio Júlio de Faria, prefeito de Pará de Minas e presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), afirma que a classe política está apreensiva. Para ele a renúncia seria o caminho mais fácil e poria fim a tanto desgaste:

Antônio Júlio de Faria
antjul_votimpct1

Sobre as declarações de Michel Temer, vice-presidente da República, em relação a uma possível sucessão, Antônio Júlio de Faria interpretou o fato como uma preocupação com o futuro do país:

Antônio Júlio de Faria
antjul_votimpct2

Em relação a votação dos deputados federais no domingo, o prefeito de Pará de Minas espera que os parlamentares sejam competentes o bastante para analisar o que é melhor para o Brasil:

Antônio Júlio de Faria
antjul_votimpct3

Para dar continuidade ao impeachment no Senado Federal é preciso que 342 deputados federais votem a favor do processo. Levantamentos de diversos órgãos de imprensa dão esse número como já alcançado pela oposição. Porém, o mais prudente é aguardar a definição pelo plenário.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!