Com mais de 100 mortes por Covid-19 e ocupação de 100% na UTI do HNSC, igrejas de Pará de Minas retomam celebrações presenciais

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que estados e municípios podem restringir celebrações religiosas presenciais, como cultos e missas, em templos e igrejas, durante a pandemia da Covid-19.

Mesmo em meio à onda roxa, onde Minas Gerais bate recorde de casos e mortes a cada dia, as celebrações podem acontecer. Nota recente enviada ao Portal GRNEWS pela assessoria de comunicação do Governo de MG diz que “o livre exercício de culto religioso é garantido constitucionalmente”, por isso não seria proibido. Porém, o Governo de MG pediu cautela devido ao momento vivido.

Pará de Minas que já superou a marca de 100 mortes causadas pelo novo coronavírus e ontem (12) a taxa de ocupação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em leitos para pacientes com Covid-19 era de 100% no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC). Também ontem o diretor-técnico Médico do HNSC Cláudio Levi alertou para a alta demanda por internações de pacientes infectados pelo novo coronavírus, a escassez de medicamentos e o esgotamento dos profissionais de saúde que atuam na linha de frente de enfrentamento da doença.

Em meio a este cenário preocupante, o Decreto nº 11.513 publicado em Pará de Minas no dia 8 de abril autoriza os cultos e missas na cidade. Segundo o documento, “igrejas e templos religiosos ou qualquer espaço destinado às liturgias, cultos, missas, cerimônias e reuniões de natureza religiosa, incluindo casamentos, poderão funcionar presencialmente”.

Porém, só poderão ter 25% da capacidade e várias medidas devem ser seguidas, como distanciamento social com ocupação espaçada entre os assentos e modo alternado entre as fileiras; janelas e portas abertas; uso de máscaras; álcool em gel na entrada dos templos; e aferição de temperatura.

Desde a publicação do decreto, igrejas evangélicas abriram as portas para os fiéis. Já nas católicas, os administradores paroquiais aguardavam o posicionamento do bispo da Diocese de Divinópolis dom José Carlos de Souza Campos. Ele se pronunciou enviando as recomendações para cada vigário forâneo.

Na cidade onde as missas estão autorizadas, estas podem acontecer seguindo todas as medidas de prevenção.

Algumas paróquias já divulgaram os horários e datas das celebrações. Na Matriz de São Francisco elas acontecerão às terças e sextas-feiras às 19 horas, no sábado às 18h30 e no domingo às 7h, 9h30 e 19 horas, com participação de 98 pessoas por ordem de chegada.

Na Igreja de Nossa Senhora das Graças será aos sábados e domingos às 17 horas.

Na Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição as missas ainda não estão definidas.

Na Paróquia de São Pedro, eles preferiram aguardar o novo decreto municipal para definir se as missas retornarão presencialmente.

Já no Santuário de Nossa Senhora da Piedade as celebrações acontecem de segunda a sexta-feira às 7 horas. Na terça, quinta e sexta-feira também há missas às 19 horas. A capacidade máxima da igreja, seguindo os protocolos municipais, é de 129 pessoas, por ordem de chegada.

O Portal GRNEWS não conseguiu contato com a Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora.

Na Paróquia de Santo Antônio, no bairro Santos Dumont, as celebrações acontecem na terça-feira às 19 horas e no domingo às 18h e 19h30. A capacidade máxima é de 50 pessoas que devem pegar o convite na quinta-feira.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!