Presidente deixará o cargo e eleições definirão novo Conselho de Administração da ARSAP

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O processo de criação da Agência Reguladora do Serviço de Água e Esgoto de Pará de Minas (ARSAP) foi muito longo em Pará de Minas. Gerou muitos questionamentos por que o então prefeito Antônio Júlio de Faria (MDB) demorou para enviar o projeto para a Câmara Municipal de Pará de Minas.

A criação da ARSAP era fundamental. Isso porque até 17 de abril do ano de 2015 o serviço de água e esgoto era operado pela Copasa, que permaneceu no município por mais de 35 anos. Assim, quem fiscalizava a Copasa era a Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (ARSAE-MG).

A partir de abril de 2015 assumiu o serviço a concessionária Águas de Pará de Minas. Com isso era necessário criar um órgão fiscalizador para acompanhar o trabalho da empresa em Pará de Minas.

Apesar desta necessidade, o ex-prefeito Antônio Júlio de Faria demorou para concretizar esse projeto, o que ocorreu somente no fim de seu mandato. Uma vez que ele tentou a reeleição em outubro de 2016, mas perdeu.

Somente no dia 22 de novembro, durante reunião realizada na Casa da Cultura, foram acertados os detalhes para a operacionalização da Agência Reguladora do Serviço de Água e Esgoto de Pará de Minas (ARSAP).

Naquela data foi escolhido o Conselho Fiscal composto por Vitor Magno de Almeida Oliveira (presidente), representando a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); Ednei Magela Duarte (vice-presidente) representando a Associação Empresarial de Pará de Minas (Ascipam); Eudes Barcelos de Oliveira (secretário), representando a Frente Comunitária do bairro Santos Dumont (FECOL).

Os três suplentes escolhidos foram Patrícia Vasconcelos de Jesus, representando o Sindicato dos Contabilistas; Carlos Henrique de Sousa que representa a Loja Maçônica e Walter Klingspiegel, representando a Associação Comunitária do bairro São Luiz.

Também em 22 de novembro de 2016, foi escolhido o Conselho de Administração da ARSAP composto pelo médico Sérgio Pereira Soares Maia (presidente); o empresário Iran Campolina Leitão; a dentista e servidora pública Cristiane dos Santos Paulino e o advogado Rodrigo Lázaro da Silva, que trabalha na Procuradoria Geral do Município. Esses foram indicados pelo então prefeito Antônio Júlio de Faria (MDB).

Os representantes da sociedade civil organizada eleitos foram Custódio Luiz dos Santos, inspetor-chefe do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-MG); Márcia Aparecida de Melo, representante da Associação Comunitária do bairro São Francisco (ASFRAN) e Nilton Ferreira de Oliveira, representando a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL).

Mas chegou o momento de mudanças na direção do Conselho de Administração da ARSAP. O médico e presidente do conselho Sérgio Pereira Soares Maia afirma que em breve serão publicados os editais de convocação para as eleições da agência. Adianta que deixará o cargo e que o momento é de renovação:


Sérgio Pereira Soares Maia
sergiomaiaarsap1

O presidente lembra daquele momento em que o município de Pará de Minas precisava criar uma agência reguladora para fiscalizar os serviços de água e esgoto prestados pela nova concessionária:

Sérgio Pereira Soares Maia
sergiomaiaarsap2

Sérgio Pereira Soares Maia também aproveita para valorizar o trabalho da equipe de fiscalização da ARSAP, principalmente neste momento em que foi suspensa a captação da água no Rio Paraopeba devido à contaminação pelos rejeitos da barragem da Mineradora Vale que rompeu em Brumadinho:

Sérgio Pereira Soares Maia
sergiomaiaarsap3

Apesar de o presidente Sérgio Pereira Soares Maia ter dito que as eleições serão em breve, ainda não foi divulgada a data para a realização de eleições que definirão os novos membros do Conselho de Administração da Agência Reguladora do Serviço de Água e Esgoto de Pará de Minas (ARSAP).

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!