Restaurantes são obrigados a repassar aumento do preço das carnes para consumidores paraminenses

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Há algumas semanas o brasileiro paga mais caro pela carne bovina e com isso, busca alternativas, como a carne suína e a de frango. Com a demanda alta, estas também tem preço elevado a cada semana.

Os motivos para o aumento na carne são dois: influências externa e interna. Na China muitos porcos foram exterminados devido a peste suína africana, o jeito foi importar do Brasil a carne bovina. Segundo a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafigo) outros cinco países estão comprando mais carne brasileira, como Rússia, Emirados Árabes, Turquia, Filipinas e Uruguai.

Quanto à influência interna, contribui para o aumento da carne bovina, a estagnada do rebanho brasileiro que não cresceu este ano. Além disso o dólar aumentou fazendo com que a carne esteja mais caro para o mercado brasileiro. Sem contar que chegou o fim do ano, e isto eleva o consumo, encarecendo o produto.

O Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre) mede o Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S). Os dados mostram que na terceira semana de novembro, a carne bovina teve aumento de 5,92%, enquanto na última semana do mês, o reajuste foi de 11,22%. No total, de janeiro a novembro deste ano, a carne de boi subiu 15,57%. Outras carnes também entraram nesta comparação. O frango inteiro teve aumento, nos 11 primeiros meses do ano, de 4,19%, enquanto a carne suína subiu 10,21%.

Ainda em relação à carne bovina, alguns cortes tiveram variação maior. O contrafilé por exemplo, subiu 13,58, enquanto a alcatra aumentou 13,22% e o corte que menos teve variação foi o filé mignon, com 9,37%.

Em casa muita gente tem optado por outras proteínas ao invés da carne de boi, mas nos restaurantes fica difícil fazer o mesmo. Samuel Araújo Henriques Silva é empresário do setor, e disse ao Portal GRNEWS que por alguns dias manteve o mesmo preço de antes, mas não conseguiu segurar a alta e teve que repassar para o consumidor final:

Samuel Araújo Henriques Silva
samuelaraujocarnecara1

Mesmo com a alta no preço da carne, que precisou ser repassada ao consumidor, Samuel Araújo tem visto o número de pessoas que almoçam no restaurante aumentar. Segundo ele a economia melhorou e com isso a preferência por comer fora:

Samuel Araújo Henriques Silva
samuelaraujocarnecara2


E o brasileiro terá que continuar fazendo mudanças no cardápio, pois segundo associações do ramo o preço da carne não deve diminuir tão cedo.

Por isso é importante pesquisar e comparar preços de marcas e cortes. Especialistas dão dicas ainda de fazer um pequeno estoque de produtos quando encontrar alguma promoção. Evitar desperdícios é importante. O Portal GRNEWS também tem dicas importantes dadas por uma nutricionista, veja só!

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!