Confirmado: 100% das granjas avícolas da região de Pará de Minas se adequaram às normas de biosseguridade

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) publicou em 2007 a Instrução Normativa 56 com o objetivo de fazer com que as granjas avícolas se adequassem a várias normas de biosseguridade. Os proprietários teriam que apresentam uma documentação mais completa além de fazer algumas alterações físicas na propriedade.

Entre as principais mudanças, utilizar telas específicas ao redor do galpão, único acesso às granjas, área de desinfecção na entrar e monitorar a entrada de funcionários. O objetivo principal é evitar doenças como a gripe aviária que traria prejuízos tanto para o produtor como para a economia em geral.

A região sob responsabilidade do escritório seccional do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) compreende os municípios de Pará de Minas, Florestal, Igaratinga, São José da Varginha e Pequi. Ao longo do ano foram realizadas força tarefas com o intuito de fiscalizar todas as granjas e agora 100% estão aptas a continuar em funcionamento, conforme apurado pela reportagem do Portal GRNEWS.

Das 240 granjas cadastradas, 228 continuam desenvolvendo as atividades e os proprietários de outras 12 resolveram encerrar os trabalhos, como explica o médico veterinário Gustavo Ribeiro:

Gustavo Ribeiro
gustavoribeiroinstnorma1


Como a instrução normativa do MAPA completou 13 anos em 2019, muitos granjeiros acreditaram que não precisariam se adequar já que as mudanças não eram cobradas. Além disso, estas obras ficam caras e o período não é dos mais favoráveis no país para um gasto tão alto:

Gustavo Ribeiro
gustavoribeiroinstnorma2

Os produtores rurais devem continuar atentos. É que pelo menos uma vez ao ano os veterinários e técnicos do IMA estarão nas propriedades para uma fiscalização:

Gustavo Ribeiro
gustavoribeiroinstnorma3

Na região de Pará de Minas, segundo o IMA, há uma média de 800 galpões com 14 milhões de aves alojadas. A cidade continua sendo a capital mineira do frango e pela quantidade de propriedades, mesmo trabalhando por meses no projeto, houve demora para fiscalizar todas elas. Agora está tudo de acordo com o exigido pelo Ministério da Agricultura.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!