Quatro projetos entram em pauta, nenhum é votado; vereadores discutem problemas nas obras da Presidente Vargas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Mais uma reunião ordinária da Câmara Municipal aconteceu na noite desta segunda-feira, 2 de setembro. Em pauta vários requerimentos e quatro projetos de lei.

O primeiro a ser discutido foi o de número 13/2019 que trata do Sistema de Estacionamento Rotativo, o popular Faixa Azul. Na última reunião o vereador Marcos Aurélio dos Santos (DEM) pediu vista e nesta segunda-feira a Comissão de Legislação e Justiça pediu mais tempo para analisar o projeto.

O Projeto de Lei 101/2019 de autoria do Executivo altera o Código de Obras do Município e também teve pedido de vista pela Comissão de Obras, Serviços Públicos e Meio Ambiente.


Já o Projeto de Lei 102/2019 que autoriza o Município a dispor de um motorista e dois vigias para a Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Pará de Minas (ASCAMP) também não foi votado por causa de um pedido de vista da Comissão de Finanças, Orçamento e Tomada de Contas.

E a Comissão de Saúde pediu vistas ao projeto 103/2019 que autoriza o Município a dispor de dois vigias, um auxiliar de enfermagem, fisioterapeuta, enfermeiro, motoristas e assistente social para a Cidade Ozanam.

Após as votações, a maioria dos membros do Legislativo utilizou a tribuna para questionar algumas situações. A principal delas, a revitalização da Avenida Presidente Vargas.

O vereador Rodrigo Alves Meneses (MDB) voltou a criticar a galeria que foi reconstruída na avenida. Ele esteve com um dos engenheiros do projeto que explicou detalhadamente o motivo de diminuir os bueiros. Agora é aguardar as chuvas para ver como ficará a situação:


Rodrigo Alves Meneses
rodrigoalvesreuniao0209

Já Marcus Vinícius Rios Faria (MDB) foi mais além e fez algumas pesquisas. Ele analisou na internet os preços das lixeiras e pontos de ônibus que serão instalados na revitalização da Avenida Presidente Vargas e os valores são altos.

De acordo com o projeto, são 12 novos pontos de ônibus sustentáveis com uso de energia fotovoltaica que terão inclusive carregadores para celular, bebedouros, bancos serão feitos de concreto e 117 novas lixeiras. Como não é possível saber quais modelos pois no edital não há todos os detalhes especificados, o vereador pesquisou produtos parecidos.

O ponto de ônibus custa em média R$ 28 mil e terá um custo total de cerca de R$ 336 mil. Já as lixeiras custam aproximadamente R$ 598,00 cada e no total deverão ser gastos R$ 70 mil:


Marcus Vinícius Rios Faria
marcusviniciusreuniao0209

José Salvador Moreira (PSD) é o presidente da Comissão de Obras, Serviços Públicos e Meio Ambiente e procurou saber detalhes da revitalização. Ele recebeu as recomendações do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e a construção da rotatória está de acordo com as exigências legais. Porém os quebra-molas deverão sofrer algumas alterações:


José Salvador Moreira
josesalvadorreuniao0209

Ênio Talma Ferreira de Rezende (PSDB) também criticou as rotatórias e a falta de planejamento da Prefeitura. Ele acredita que alterações serão realizadas para evitar acidentes e melhorar o fluxo de veículos:


Ênio Talma Ferreira de Rezende
eniotalmareuniao0209

Os vereadores encaminharam ofício à Prefeitura de Pará de Minas solicitando que o secretário municipal de Obras e Infraestrutura e vice-prefeito José Porfírio de Oliveira Filho e os engenheiros do projeto participem de uma reunião para explicar sobre a revitalização. Eles devem comparecer no próximo dia 9 de setembro.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!