Moradores de Meireles pedem ações de reparação e compensação pela Vale; documento será protocolado no MPMG

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Um abaixo assinado com mais de 200 assinaturas será protocolado nesta quarta-feira, 3 de março, no Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), através da Comarca de Pará de Minas. Endereçado aos promotores de Justiça Charles Daniel França Salomão e Delano Azevedo Rodrigues, o documento pede por reparações e compensações para a comunidade pela Mineradora Vale.

A adutora construída pela mineradora no rio Pará, como forma de reparação pelos prejuízos ambientais causados após o rompimento da barragem em Brumadinho, passou por Meireles e desde o início os moradores reclamam de problemas durante as obras.

Reprodução/Redes Sociais

O Portal GRNEWS teve acesso ao documento que será protocolado no MPMG, detalhando que moradores, trabalhadores e frequentadores fazem jus às ações por conta dos prejuízos e inconvenientes causados à comunidade.

Após discutirem, os próprios moradores escolheram algumas ações prioritárias para que a Vale faça no distrito. A primeira reparatória diz respeito à recomposição integral do calçamento da comunidade, que segundo eles foi removido para colocação dos dutos e foi recolocado de forma inadequada.

Pedem ainda pela manutenção das estradas de acesso à Meireles. Segundo os moradores, elas foram danificadas pelo tráfego de caminhões, máquinas pesadas como escavadeiras e outros veículos usados pela Bueno Engenharia e Construção Ltda.

Quanto às ações compensatórias, a primeira pede a manutenção geral e equipagem da Escola Municipal Marechal Deodoro, como também uma reforma na quadra de esportes. Os moradores pedem à Vale que reforme também o posto de saúde que tem “modesta estrutura não sedo adequada para promover ações primárias e de promoção de saúde”.

João Pedro/Meireles

O documento diz ainda que o posto de saúde do distrito não tem computador para registro dos prontuários nem um telefone fixo. Quanto às salas, não tem sequer um local adequado para limpeza de feridas, realização de curativos ou armazenamento de medicamentos e vacinas.

Outra solicitação dos moradores é pela reforma da praça e criação da feira comunitária. Como o distrito tem potencial para turismo rural, a comunidade teria oportunidade de expor e vender verduras, queijos, biscoitos, artesanato e outros produtos que possam atrair consumidores de outras regiões.

Um velório também é solicitado como ação compensatória, já que o distrito não possui um espaço específico para este fim, sendo os velórios realizados no salão paroquial ou nas residências.

O documento tem anexo ainda um manifesto datado de junho de 2020 onde os moradores já fazem solicitações.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!