Mais de 50 mil animais serão vacinados contra a Febre Aftosa na região de Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Começa nesta sexta-feira, 1º de novembro, a segunda etapa anual de vacinação contra a Febre Aftosa. Coordenada pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), desta vez serão vacinados bovinos e bubalinos de zero a 24 meses.

A vacinação é obrigatória e o produtor rural deve declarar até o dia 10 de dezembro que o rebanho foi imunizado.

Minas Gerais possui o segundo maior rebanho de bovinos do país, com cerca de 23 milhões de cabeça, possuindo também o status de área livre da doença com vacinação desde 2001. O título foi concedido pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE).

Causada por um vírus, a febre aftosa é contagiosa e transmitida pela saliva, leite, urina e fezes do animal doente traz grandes prejuízos para os produtores.

Em Pará de Minas as lojas especializadas renovaram os estoques e garantem que não faltará a vacina, que custa em média R$ 1,50 a dose.

Técnicos e médicos veterinários do IMA já montaram um planejamento das propriedades que visitarão nesta etapa da campanha para acompanhar a vacinação. Eles também estão preparados para receber as declarações dos produtores.

O escritório seccional de Pará de Minas é responsável por outras quatro cidades da região, como Florestal, Igaratinga, Pequi e São José da Varginha. E os profissionais estão preparados para a campanha, como explica o chefe Lucas Silva Jardim:

Lucas Silva Jardim
lucasfebreaftosa2etapa1


O estado pretende nos próximos dois anos receber o certificado de livre da febre aftosa sem vacinação. Pra isso foi feito um planejamento e aos poucos as doses serão diminuídas.

Antes, era aplicada a dose de 5 ml no animal. Desde maio, a imunização é com 2 ml, e Lucas Silva Jardim disse a reportagem do Portal GRNEWS, que os produtores se adaptaram bem às mudanças e tudo transcorreu com normalidade:

Lucas Silva Jardim
lucasfebreaftosa2etapa2

Nesta etapa mais uma novidade. Ao fazer a declaração, o produtor rural tem que apresentar o Cadastro Ambiental Rural (CAR) para que o IMA saiba exatamente onde está localizada a propriedade:

Lucas Silva Jardim
lucasfebreaftosa2etapa3

O produtor rural que não vacinar o rebanho paga multa de R$ 89,83 por animal não imunizado. Quem não declarar ao IMA terá que pagar R$ 17,96 também por animal.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!