Polícia Militar implanta em Pará de Minas Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

No ano de 2018, conforme dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), 1,6 milhão de mulheres foram espancadas ou sofreram tentativa de estrangulamento no Brasil. Outras 22 milhões de brasileiras passaram por algum tipo de assédio. Nos casos de violência, 42% deles foi dentro de casa e mais da metade das mulheres não denunciou o agressor.

Por causa de números como estes é preciso cada vez mais que o poder público invista em programas que ajudem estas mulheres e claro, na segurança pública.

Desde 2010 existe em Minas Gerais a Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica (PPVD). O serviço da Polícia Militar ajuda as vítimas deste tipo de crime. Primeiro a ocorrência é registrada por equipes do turno normal. Em seguida as informações são repassadas aos membros da PPVD que procuram a vítima e conversam com ela.

Ajudam a mulher em parceria com outros órgãos da rede de enfrentamento à violência, como Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) dos municípios, secretarias de saúde e rede escolar.

Em março policiais de nove regiões da Polícia Militar participaram de mais um treinamento para capacitar novos membros da PPVD. Eles aprenderam sobre abordagem psicológica, Lei Maria da Penha, direitos humanos, violência de gênero e doméstica e protocolo de atendimento às vítimas.

Na semana passada, a 7ª Região da Polícia Militar sediada em Divinópolis, lançou as novas equipes da Patrulha.

A 19ª Companhia Independente de Polícia Militar, sediada em Pará de Minas, passa a ter a PPVD a partir de agora. Militares foram capacitados com o objetivo de estreitar os laços entre PM e famílias que precisam deste tipo de atendimento especializado.

O subcomandante da unidade, Capitão Fábio Santos, explica como a Patrulha irá funcionar na prática:


Fábio Santos
fabiosantosppvd1

Os crimes de violência doméstica continuam crescendo, mas em Pará de Minas, segundo Capitão Fábio Santos, a situação está controlada. Porém ele teme que muitas mulheres tenham medo ou vergonha em denunciar.

Por isso a Patrulha terá papel importante no acompanhamento a estas mulheres vítimas:

Fábio Santos
fabiosantosppvd2

A população continua tendo papel fundamental no combate à criminalidade. É importante ficar atento a vizinhos com comportamentos estranhos e denunciar, para evitar que mais mulheres sejam vítimas da violência doméstica:

Fábio Santos
fabiosantosppvd3

Quem precisar dos serviços da Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica pode acionar a equipe através do telefone 190.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!