Pará de Minas não realizará Cavalgada pelo terceiro ano seguido e avalia Queima do Alho beneficente ao HNSC

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Durante 35 anos o Sindicato Rural de Pará de Minas realizou a Cavalgada. Evento que se tornou uma tradição em todo o estado e era sempre promovido no mês de abril.

Milhares de cavaleiros e amazonas vinham ao município em comitivas para desfilar pelas principais ruas da cidade e no final, se concentravam no Parque de Exposições Francisco Olivé Diniz para uma grande festa, com praça de alimentação e shows. Tudo isso com entrada gratuita e que reunia famílias inteiras que curtem o estilo.

Mas com o passar do tempo, a festa tomou outras proporções. Eram carros de som em meio a cavalos, bagunça, bebedeira e aos poucos as famílias foram se afastando do evento.

Enquanto Antônio Júlio de Faria (MDB) foi prefeito de Pará de Minas, entre os anos de 2013 e 2016, o Sindicato Rural não realizou nenhuma festa no Chicão. O presidente Eugênio Diniz queria responsabilidades definidas para cada uma das partes. Já a administração não gostava da forma de trabalho do empresário João Wellington, que de acordo com eles levava o dinheiro da cidade embora.

A Prefeitura de Pará de Minas então tomou frente dos eventos e contratou empresários não tão conhecidos na região. A maioria das festas não levou grande público e gerou muitas reclamações, principalmente dos barraqueiros.

Em 2016 foi realizada a última Cavalgada da cidade, mas o evento não atraiu tantas pessoas. Foram promovidos shows à noite e no domingo o desfile, que reuniu cavaleiros e amazonas. Porém a bagunça fez com que o evento fosse muito criticado.

Quando assumiu em 2017, o prefeito Elias Diniz (PSD) retomou a parceria com o Sindicato Rural de Pará de Minas que voltou a realizar os eventos no Parque de Exposições contando com a ajuda do empresário João Wellington. Expô Pará e Festa do Frango e do Suíno voltaram a entrar para o calendário de eventos do município mas a Cavalgada novamente não foi realizada.

Em 2018 as duas festas aconteceram com bom publico, mas o desfile de cavaleiros e amazonas foi novamente adiado.

Em novembro do ano passado o Sindicato Rural enviou um comunicado à Câmara Municipal de Vereadores, prefeitura e outros órgãos informando que no mesmo molde das festas anteriores, não realizaria mais os eventos. Segundo Eugênio Diniz, o investimento é alto e o Sindicato não consegue mais arcar com os prejuízos que poderiam até mesmo causar dificuldades financeiras a entidade.

Foram realizadas reuniões e nada ficou definido. Para 2019 nenhuma festa está programada.

Porém em fevereiro, o secretário municipal de Cultura e Comunicação Institucional Paulo Duarte disse ao Portal GRNEWS que a prefeitura estaria estudando a realização da Cavalgada em novos moldes, voltando realmente às origens.

Já em março Paulo Duarte afirmou que em abril, por falta de tempo, a festa não seria realizada. Mas havia estudos para a Cavalgada e uma Queima do Alho serem promovidas em julho.

Nesta semana o secretário voltou a falar sobre o assunto. A Cavalgada está cancelada este ano. A realização da Queima do Alho beneficente ao Hospital Nossa Senhora (HNSC) está sendo avaliada e pode ser realizada no mês de julho:


Paulo Duarte
paulocavalgada1

Outro evento retomado na atual administração é o Forró do Pará, que passou a fazer parte do calendário da cidade. Em 2019 deve acontecer novamente na Praça Torquato de Almeida e não é cogitado unificar o Forró à Queima do Alho:

Paulo Duarte
paulocavalgada2

Novas reuniões devem acontecer nas próximas semanas para analisar a possibilidade de realizar com a participação das comitivas a Queima do Alho beneficente ao Hospital nossa Senhora da Conceição.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!