Ex-presidente detalha Olho Vivo da ASCIPAM e garante que não prometeu R$ 800 mil para o projeto

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


Nesta semana o prefeito Elias Diniz (PSD) anunciou a assinatura de um termo de cooperação técnica entre o Ministério da Ciência e Tecnologia e o município com o objetivo de implantar em Pará de Minas o projeto Cidade Digital.

A proposta contempla um moderno sistema integrado de fibra ótica e câmeras. Neste novo modelo estarão interligados os equipamentos da prefeitura da área da saúde, educação e assistência social.

Também será feita a troca das lâmpadas dos postes pelo sistema LED, trazendo mais economia e eficiência para a população paraminense. Outra inovação seria em relação ao transporte coletivo urbano.

Através do sistema será possível rastrear os itinerários dos ônibus e saber quantos passageiros estão utilizando o transporte coletivo. As modernidades não param por aí, a proposta também prevê a instalação de 70 câmeras.

Os equipamentos fazem parte do projeto de monitoramento chamado Olho Vivo. Uma reivindicação muito antiga, especialmente dos comerciantes que estão sofrendo com os assaltos a mão armada na cidade.

Segundo o chefe do Poder Executivo, a Cidade Digital será realizada em três etapas, podendo os custos finais chegar a R$ 16 milhões. Inicialmente o município investirá R$ 890 mil, o governo federal entrará com R$ 700 mil e a Associação Empresarial de Pará de Minas (ASCIPAM) entraria com R$ 800 mil, totalizando R$2.390.000,00.

Entretanto os diretores da entidade de classe afirmam que não se comprometeram a assumir o repasse desse montante para implantar este projeto em Pará de Minas.

O comerciante Carlos Henrique de Souza, ex-presidente da ASCIPAM no período 2015-2016, lembra que a primeira demanda do empresariado foi atinente a segurança pública e com isso começou a ser elaborado o projeto Olho Vivo com o apoio da Polícia Militar:


Carlos Henrique de Souza
olhovivocarloshenriquedesouza1

No projeto inicial a Polícia Militar providenciaria uma sala para instalação do sistema de monitoramento, a prefeitura assumiria os custos com aluguel da rede de fibra ótica, internet, energia elétrica e cessão de servidores e a ASCIPAM contribuiria com a aquisição de equipamentos para os pontos das câmeras:

Carlos Henrique de Souza
olhovivocarloshenriquedesouza2

A diretoria da ASCIPAM aprovou o apoio financeiro em dois pontos de videomonitoramento. As demais câmeras e equipamentos seriam adquiridos após uma campanha com os comerciantes paraminenses:

Carlos Henrique de Souza
olhovivocarloshenriquedesouza3

O ex-presidente afirma categoricamente que o apoio da ASCIPAM continuou o mesmo com o advento do projeto da Cidade Digital. A instituição estava aguardando um posicionamento do poder público:

Carlos Henrique de Souza
olhovivocarloshenriquedesouza4

O projeto Olho Vivo já foi implantado em Arcos, Mateus Leme e Nova Serrana. As imagens das câmeras auxiliam as equipes da Polícia Militar a identificar pessoas e veículos suspeitos durante o combate à criminalidade nas ruas.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE