Aumenta o número de compras fora do Brasil e Correios alertam que entrega do produto depende do pagamento de taxas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Uma pesquisa realizada em outubro de 2017 pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), apontou que 22% dos brasileiros que acessam internet costumam comprar em sites internacionais.

Ainda não há uma pesquisa recente, mas dados mostram que o número de brasileiros que compram nos sites estrangeiros aumentou consideravelmente, e a expectativa é que em 2020 o e-commerce movimente no Brasil R$ 272 bilhões.

Os motivos para estas compras em lojas internacionais são os mais variados possíveis. Vão desde o preço mais barato, sem impostos ou taxas brasileiras; a peças diferentes, não tão comuns no Brasil.

Pensando nisso cada dia surgem novas lojas que se tornam sucesso no país, com produtos diferentes, às vezes com qualidade inferior, mas o preço bem mais em conta, que os comprados nas terras brasileiras.

Mas para fazer este tipo de compra, o consumidor deve ficar atento a vários critérios e quesitos. Até a forma de pagamento pode ter uma porcentagem cobrada quando o produto chega no Brasil. A Receita Federal também pode tributar o produto dependendo do valor, e o Correios cobra uma taxa de R$ 15,00 para a entrega.

Os valores e taxas não são fixos e depende de cada situação, por isso é importante que o consumidor tenha conhecimento de tudo isso antes de realizar a transação. Ao Portal GRNEWS, a gerente da agência dos Correios de Pará de Minas, Andréia Menezes, explica como funciona a taxação:

Andréia Menezes
andreiataxacomprinter1


O produto chega ao Brasil e o site onde é feito o rastreamento mostra que o consumidor foi taxado. No mesmo local há um link onde ele emite o boleto que deve ser pago, tanto o imposto cobrado pela Receita Federal como o despacho que deve ser pago ao Correios. Caso não pague, o produto pode até mesmo ser devolvido:

Andréia Menezes
andreiataxacomprinter2

Se o consumidor for taxado, ele tem prazo de um mês para fazer o pagamento. A Receita Federal taxa a importação no valor equivalente a 60% do preço do produto. Além disso, o comprador pode ter que pagar o Imposto sobre Circulação de Serviços e Prestação de Serviços (ICMS), cuja alíquota varia em cada estado.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!