Mesmo com paralisação por parte do Estado, Pará de Minas continuou realizando cirurgias eletivas no HNSC

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Cirurgias eletivas são aquelas que podem ser agendadas e não são consideradas urgentes. No dia 25 e julho a Secretaria de Estado de Saúde (SES) havia suspendido os procedimentos por falta de verba. Quase duas semanas depois o Ministério da Saúde publicou uma portaria liberando recursos na ordem de R$10,2 milhões o que vai ajudar os municípios mineiros a zeraram a fila de espera.

Mesmo com a paralisação, alguns procedimentos como cirurgias de catarata, vesícula, varizes e hérnia não foram interrompidas, porque as secretarias municipais já haviam feito contratos com prestadores de serviço, como hospitais. Além disso, há outros programas do Sistema Único de Saúde (SUS) que pagam pelas cirurgias eletivas.

O secretário municipal de Saúde Paulo Duarte dá detalhes sobre a portaria e como a paralisação repercute em Pará de Minas. Como é o Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) quem realiza as cirurgias eletivas no município, elas continuaram em menor número mesmo durante a interrupção proposta pela Secretaria de Estado de Saúde:


Paulo Duarte
pauloduartecirelet1

Paulo Duarte ressalta como as cirurgias eram realizadas no passado. Com a intervenção no HNSC foi possível fazer as operações e tirar centenas de pessoas da fila de espera, o que não foi feito por outros municípios:

Paulo Duarte
pauloduartecirelet2

O Governo do Estado de Minas Gerais estuda mudanças em relação a estes recursos enviados junto ao governo federal. A expectativa é criar um só programa para conseguir pagar por todos os serviços oferecidos.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!