Militares foram os primeiros a chegar ao quarto incendiado e contam detalhes da ação para salvar idosos na Cidade Ozanam

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A noite de terça-feira, 1º de outubro, foi de tristeza para os paraminenses e horror para quem presenciou o incêndio em um dos quartos da Cidade Ozanam, localizada no bairro JK, que abriga cerca de 60 pessoas idosas em regime de internato. A suspeita é que um cigarro caiu no colchão e as chamas tiveram início. O laudo da Perícia Técnica da Polícia Civil indicará a causa do incêndio. Dois idosos estavam no quarto quando o fogo começou, e por causa da idade e do remédio que tomam para dormir, não conseguiram sair.


Os funcionários da Cidade Ozanam sentiram o cheiro de fumaça e acionaram rapidamente o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) e a Polícia Militar. Como havia uma equipe no bairro Santos Dumont, ela foi a primeira a chegar, demorando pouco mais de três minutos no deslocamento feito com extrema rapidez.

Os primeiros que chegaram ao local foram militares do Serviço de Inteligência da 19ª Companhia Independente da Polícia Militar de Pará de Minas, que obviamente não podem ser identificados.

Os outros militares que atuaram nesta ocorrência foram o tenente Bernardo, sargento Rony, sargento Jaider, sargento Moreira e soldado Oliveira que ocupavam viaturas.

Também deram apoio na ação os militares o sargento Amaral, cabo Araújo, cabo Pereira e soldado Belmonte do O Grupo Especializado em Prevenção Motorizada Ostensiva Rápida (GEPMOR).

Mesmo sem equipamentos próprios para este tipo de resgate, os militares se arriscaram, entraram no quarto em chamas e conseguiram tirar os dois idosos de 60 e 78 anos. O ato de bravura dos militares foi muito elogiado pelos paraminenses.

SAMU Oeste/Divulgação

Em seguida as equipes do Corpo de Bombeiros, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU Oeste) e do grupo de resgate voluntário Anjos do Asfalto chegaram e levaram as vítimas para o Hospital Nossa Senhora da Conceição, onde a equipe médica viu a gravidade do estado de saúde dos dois e solicitou encaminhamento para o Hospital João XXIII em Belo Horizonte.

Reprodução

O helicóptero Arcanjo 4 do Batalhão de Operações Aéreas (BOA) levou os pacientes para a capital mineira por volta de um hora da madrugada de quarta-feira, 2 de outubro. Eles foram atendidos e permaneceram em coma induzido já que tiveram 90% dos corpos queimados.

Mas na manhã de quinta-feira (3) foi confirmada a morte de Francisco Pires da Silva, mais conhecido como Chico, que tinha 78 anos. A outra vítima continua internada em estado gravíssimo.

A reportagem do Portal GRNEWS procurou a equipe de militares que chegou primeiro a quarto incendiado da Cidade Ozanam e conversou com o tenente Bernardo Artur Wenceslau Moreira Navarro. Ele conta os momentos de apreensão e tensão que viveram durante a ação rápida para salvar os idosos:


Bernardo Artur Wenceslau Moreira Navarro
bernardonavincendio1

Resgates em acidentes ou incêndios não são comuns no trabalho rotineiro dos policiais militares e a situação na Cidade Ozanam causou extrema emoção na equipe que agiu para salvar os idosos.

Diante desse fato lamentável, tenente Bernardo espera que os paraminenses se solidarizem e passem a visitar os velhinhos da Cidade Ozanam com maior frequência:

Bernardo Artur Wenceslau Moreira Navarro
bernardonavincendio2

SAMU Oeste/Divulgação

Veja também
Conheça histórias de idosos que mesmo sem familiares por perto vivem alegres e tranquilos na Cidade Ozanam

A reportagem do Portal GRNEWS também conversou com o sargento Rony Guilherme Costa de Faria, outro integrante da equipe que chegou primeiro a Cidade Ozanam na noite de terça-feira. Destaca que o primeiro pensamento foi tirar os idosos de dentro do quarto e apagar o fogo que queimava os corpos das vítimas:


Rony Guilherme Costa de Faria
ronyguilhermeincendio1

Depois da tragédia muita gente tem utilizado às redes sociais para opinar sobre o que poderia ter sido feito para evitar o incêndio. Muitos inclusive criticaram funcionários da Cidade Ozanam, enquanto outros convidaram os críticos à passarem mais tempo no lar dos idosos.

Este também é o pensamento do sargento que arriscou a vida para salvar duas pessoas:

Rony Guilherme Costa de Faria
ronyguilhermeincendio2

Veja também
Gêmeas “par de jarras” continuam esbanjando alegria e agora residem na Cidade Ozanam


Duas mulheres e um homem que trabalhavam na Cidade Ozanam na noite do incêndio tiveram que ser levados para o Hospital Nossa Senhora da Conceição por terem inalado muita fumaça. Os três foram atendidos e liberados. Dois militares foram atendidos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) após ajudar a resgatar os idosos.


A ação heroica dos militares foi muito elogiada pelos paraminenses que reconheceram a ação rápida e de alto risco para salvar a vida dos dois idosos, cujos corpos estavam tomados pelas chamas.

De acordo com o último boletim emitido pelo Hospital João XXIII a outra vítima do incêndio na Cidade Ozanam, um idoso de 60 anos, continua internado naquela unidade em estado grave.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!