Realidade de municípios e disponibilidade de leitos são fatores decisivos para enquadrar nas microrregiões

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Comerciantes de vários setores de Pará de Minas estão apreensivos nesta semana. É que somente na quinta-feira, 6 de agosto, eles saberão se o comércio poderá ser mantido aberto devido a cidade ter aderido ao Minas Consciente.

O plano do governo estadual é dividir Minas Gerais em microrregiões e agora prevê três ondas, retirando a Branca que estava anteriormente.

A reorganização da divisão em ondas mostrará o momento indicado para abertura de cada atividade econômica, sendo a Vermelha para serviços essenciais, a Amarela para não essenciais e a Verde, não essenciais com alto índice de contágio por COVID-19.

Na Onda Vermelha estão autorizados a funcionar supermercados, padarias, restaurantes, lanchonetes e lojas de conveniência; bares para delivery ou retirada no balcão; açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros; serviços de ambulantes de alimentação; farmácias, drogarias, lojas de cosméticos, lavanderias, pet shop; bancos, casas lotéricas, cooperativas de crédito; vigilância e segurança privada; serviços de reparo e manutenção; lojas de informática e aparelhos de comunicação; hotéis, motéis, campings, alojamentos e pensões; construção civil e obras de infraestrutura; e comércio de veículos, peças e acessórios automotores.

Já na Onda Amarela poderão funcionar bares para consumo no local; autoescola e cursos de pilotagem; salão de beleza e atividades de estética; comércio de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo; papelaria, lojas de livros, discos e revistas; lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem; comércio de itens de cama, mesa e banho; lojas de móveis e lustres; imobiliárias; lojas de departamento e duty free; e lojas de brinquedos.

Na Onda Verde estão atividades artísticas, como produção teatral, musical e de dança e circo; academias e demais atividades de condicionamento físico; cinemas, bibliotecas, museus, arquivos; parques, zoológicos e jardins; clubes; feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas, bufê; parques de diversão, discotecas, boliches, sinuca; bares com entretenimento  como shows e espetáculos; e serviços de colocação de piercings e tatuagens.

Como o Município de Pará de Minas ainda não sabe como será a readequação e o que será fechado ou permanecerá aberto, o Portal GRNEWS entrou em contato com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE) de Minas Gerais.

Em nota a assessoria-chefe de Comunicação da SEDE informou que “a realidade de cada município mineiro será considerada para determinar a reabertura segura da economia durante a pandemia da Covid-19. A progressão de ondas do novo Minas Consciente, que passa a valer a partir da próxima quinta-feira (6 de agosto), será feita avaliando características como tamanho da cidade, logística de atendimento e capacidade assistencial”.

A SEDE garantiu ainda que a divisão por microrregião agrupa municípios que apresentam realidades semelhantes. São 62 microrregiões contempladas pelo plano e elas foram divididas em um trabalho conjunto entre as secretarias de Estado de Saúde e Desenvolvimento Econômico. Os técnicos avaliaram a condição de atendimento, logística e disponibilidade de leitos em cada cidade.

O anúncio das mudanças com as classificações das microrregiões será feito na quinta-feira, 6 de agosto. E logo em seguida os municípios terão que se readequar ao plano.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!