Álcool gel falta nas prateleiras em Pará de Minas e farmacêutico alerta para os perigos da fabricação caseira

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Com a chegada do novo coronavírus (COVID-19) ao Brasil, foi anunciada que a melhor forma de prevenção à doença  é o isolamento e a higienização. Além de lavar bem as mãos, o uso do álcool gel mata o vírus. O produto deve ser utilizado também para desinfetar celulares, teclados, cadeiras, maçanetas e outros objetos de uso coletivo.

A indicação é que o produto seja o álcool 70, ou seja, composta de 70% de álcool etílico, o etanol. Esta quantidade é a necessária para combater micro-organismos como bactérias, vírus e fungos.

Encontrado facilmente em farmácias e supermercados, virou uma verdadeira caça desde que a notícia foi anunciada.

Em Pará de Minas por exemplo, basta o produto chegar às prateleiras que rapidamente ele some novamente. Muita gente foi a cada um dos estabelecimentos da cidade que vendem álcool gel para comprar o produto mas a busca foi em vão.

Para ajudar os brasileiros, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou em 17 de março a fabricação de álcool gel por farmácias de manipulação. Em nota a Anvisa autorizou a manipulação de “álcool etílico 70% (p/p), álcool etílico glicerinado 80%, álcool gel, álcool isopropílico glicerinado 75%, água oxigenada 10 volumes e digliconato de clorexidina 0,5%.”

Na Droga Rede Manipulação, localizada em frente ao Hospital Nossa Senhora da Conceição, no Centro de Pará de Minas, basta o álcool gel chegar que rapidamente as prateleiras estão vazias novamente. Ao Portal GRNEWS o farmacêutico e homeopata Rafael Grassi Franco Melgaço explica que nesta etapa inicial é preciso ser solidário. O álcool gel não deve ser utilizado em tudo:

Rafael Grassi Franco Melgaço
rafaelgrassicorona1


Como as farmácias podem manipular o produto a partir de agora, Rafael Grassi conta que os fornecedores também estão se programando para atender a todos:

Rafael Grassi Franco Melgaço
rafaelgrassicorona2

Com a correria na busca pelo álcool gel e como está praticamente impossível comprar, muita gente busca na internet como fazer o produto. Algumas receitas dizem que basta misturar gel de cabelo com álcool e tá pronto. Ou então é só misturar álcool com gelatina sem sabor.

O farmacêutico é enfático ao dizer que além de não ser totalmente confiável, a fórmula pode até mesmo causar acidentes:

Rafael Grassi Franco Melgaço
rafaelgrassicorona3

Sobre a comercialização do álcool gel em Pará de Minas, o Procon enviou às empresas uma notificação pública limitando a venda a uma unidade por consumidor. A medida tem o objetivo de assegurar o abastecimento do produto ao maior número de pessoas.

Além disso, o coordenador Bruno Soares de Souza advertiu às lojas, farmácias e supermercados, que o aumento abusivo e injustificado dos preços é prática vedada no Código de Defesa do Consumidor, ficando o infrator sujeito a várias sanções.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!