Sindicalistas afirmam que o trabalhador não tem motivos para comemorar neste 1º de maio

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

neulrib_pltc
Anualmente as entidades sindicais promovem no dia 1º de maio a Festa do Trabalhador. São proporcionadas algumas atrações como música, dança, sorteio de brindes, torneios esportivos, entre outras.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Alguns segmentos utilizam a estrutura de clubes de lazer para reunir os colaboradores das empresas e seus familiares. Tudo para celebrar mais um ano de muito trabalho e contribuição para o crescimento do país.

Em 2016 o cenário político e econômico vem tirando o sono de muitos profissionais. O número de desempregados no Brasil nos últimos quatro meses chegou a quase 11 milhões – o pior índice dos últimos anos.

Muitas famílias estão cortando os gastos ao máximo para conseguirem honrar os compromissos das despesas fixas como alimentação, vestuário e moradia. O momento atual é de recessão financeira em todo o Brasil.

Para Neuler Ribeiro, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fiação e Tecelagem de Pará de Minas, não existem motivos para se comemorar o Dia do Trabalho por causa do desemprego:

Neuler Ribeiro
neulrib_diatrab

Aproveitando a oportunidade o presidente do Sindicato Têxtil convida a todos os aposentados do setor para uma missa que celebrada no Santuário de Nossa Senhora da Piedade, a partir das 7 horas, neste domingo 1º de maio. Em seguida será servido um café aos trabalhadores nas indústrias têxteis na sede da entidade, na Rua Benedito Valadares, Centro, ao lado da agência do INSS. Também haverá música ao vivo com o cantor Juvenil.

Fausto José Conceição Abreu, presidente do Sindicato dos Comerciários de Pará de Minas, também afirma que os brasileiros estão enfrentando sérios problemas financeiros e não há o que comemorar nesta data:

Fausto José Conceição Abreu
faustjos_diatrab

Enquanto o desemprego registra aumentos consecutivos e atinge 10,9% da População Economicamente Ativa ou 11 milhões e 100 mil trabalhadores desempregados, o Congresso Nacional continua focado na guerra política que vem se arrastando.

O país está parado até que seja definido o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Mesmo após esta decisão, os especialistas em economia afirmam que será necessário um longo tempo para que o país e retome o ritmo de crescimento.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!