Várias Unidades Básicas de Saúde de Pará de Minas estão sem médicos e população lota a UPA

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Há cerca de três meses pacientes os paciente intensificaram as reclamações referentes à falta de médicos em algumas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município e também das comunidades rurais.

O resultado dessa falta de médicos nas Unidades Básicas de Saúde é a superlotação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), por falta de profissionais que possam atender os cidadãos nos bairros e distritos.

As queixas chegam constantemente até a imprensa e também à Câmara Municipal de Pará de Minas, onde a questão vem sendo discutida durante as reuniões ordinárias semanais, mas mesmo assim o problema não foi resolvido.

O secretário municipal de Saúde, Paulo Duarte disse à reportagem do Portal GRNEWS que a contratação dos médicos é burocrática. Após a saída dos cubanos do município, a expectativa era contratar os profissionais por meio do concurso público realizado em 2018.

Porém, o que tem acontecido é que há prazos estipulados em lei para que o médico seja convocado, aceite a proposta, envie a documentação e só então toma posse e começa a trabalhar, uma média de três meses. E toda esta burocracia tem atrasado a contratação dos profissionais em Pará de Minas.

O assunto voltou à tona novamente durante reunião da Câmara Municipal na segunda-feira, 25 de março. O vereador Rodrigo Alves Menezes (MDB) reafirmou que além da UBS do Alto Bairro Santos Dumont, as comunidades de Torneiros, Carioca, Meireles e Palmital estão sem médicos.

Ele citou que no domingo (24) um paciente chegou à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) por volta das 8 horas e só foi atendido às 19 horas. Foram 11 horas aguardando por atendimento, segundo denúncia recebida pelo vereador.

Ele foi informado que o empecilho atual é o salário dos médicos e pede à administração municipal que acione o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) para facilitar a contratação imediata dos médicos:

Rodrigo Alves Menezes
rodrigoalves_medicos


Diante desse cenário, a reportagem do Portal GRNEWS procurou novamente o secretário municipal de Saúde Paulo Duarte para falar sobre a falta de médicos nas unidades básicas de Pará de Minas.

O secretário afirmou que há uma confusão em relação a salários mas não é este o problema principal da falta de médicos nas UBS. Garantiu ainda que o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) foi acionado pela administração  para facilitar a contratação dos profissionais:

Paulo Duarte
pauloduarte_medicos1


Paulo Duarte explicou ainda que os médicos serão contratados por um ano e dois profissionais começarão a trabalhar nas Unidades Básicas de Saúde de Pará de Minas na segunda-feira, 8 de abril:

Paulo Duarte
pauloduarte_medicos2

Constam no edital do Concurso Público da Prefeitura de Pará de Minas, realizado em junho de 2018, os salários dos médicos.

Para os cargos de Angiologista, Cardiologista, Clínico Geral, Endocrinologista, Gastroenterologista, Ginecologista, Mastologista, Neurologista, Neurologista Pediátrico, Oftalmologista, Ortopedista, Otorrinolaringologista, Pediatra, Pneumologista, Pneumologista Pediátrico, Proctologista, Psiquiatra, Psiquiatra Pediátrico, Radiologista e Reumatologista o salário é de R$ 2.877,40 para 20 horas de trabalho semanal.

Já para as funções de Plantonista Clínico Geral e Plantonista Pediatra, para 12 horas por semana, o salário é de R$ 3.664,66.

O Processo Seletivo foi o que contemplou as UBS. O salário para 40 horas semanais de trabalho para um Médico da Família e o Médico de Atenção Domiciliar é de R$10.879,51.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!