Pará de Minas cobra ações imediatas da Vale para evitar racionamento de água; mineradora promete apresentar projeto

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Representantes do poder público municipal, da sociedade civil, da concessionária Águas de Pará de Minas e da mineradora Vale se reuniram novamente nesta quarta-feira, 27 de fevereiro.


Dessa vez o encontro aconteceu na sede do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). Na pauta as negociações para resolver o problema da falta de água na cidade durante o período de estiagem, já que o Rio Paraopeba não oferece mais segurança quanto à qualidade da água após o rompimento da barragem de rejeitos da Vale em Brumadinho.

Após a reunião o prefeito Elias Diniz (PSD) disse que a preocupação é quando será iniciada a obra para construção de nova adutora para captar água no Rio Pará e abastecer Pará de Minas. Técnicos da Vale apresentarão um projeto para sanar problema nesta quinta-feira (28):


Elias Diniz
reunião_paraopeba_elias1

Acrescenta que as cobranças necessárias estão sendo feitas, porém a Vale pretende protelar as exigências e postergar o início das obras, o que não foi aceito pelo Comitê Municipal de Gestão e Avaliação ao Desastre.

Garante que todos os esforços estão sendo empreendidos para que uma nova adutora seja construída em tempo recorde, como foi feito pela concessionária Águas de Pará de Minas em 2015:

Elias Diniz
reunião_paraopeba_elias2


A expectativa era que fosse assinado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) cobrando que a Vale que assuma total responsabilidade em relação à possível falta de água no período de estiagem e buscar novos meios para captação:

Elias Diniz
reunião_paraopeba_elias3

O superintendente da concessionária Águas de Pará de Minas, Thiago Contage Damaceno, disse que o encontro foi importante para esclarecer alguns pontos. Reitera que está sendo cobrado da Vale é a adoção de medidas para manter a cidade abastecida com 284 litros por segundo, tendo em vista a chegada do período de estiagem. A obra precisa ser feita o mais rápido possível porque os mananciais urbanos não suportam a demanda durante o tempo seco:


Thiago Contage Damaceno
reunião_paraopeba_thiago

Importante destacar que por enquanto o município está sendo abastecido pelo Ribeirão Paciência, Córrego dos Paivas e poços artesianos, devido as chuvas que caem no município neste início de ano e reabastecem os mananciais.

Como ocorre desde a ocorrência da tragédia em Brumadinho, os representantes da Vale que participam de reuniões em Pará de Minas não concedem entrevistas.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!