Com alta no preço da carne de boi, nutricionista dá dicas para continuar ingerindo proteína gastando menos

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Há algumas semanas o consumidor que chega aos açougues leva um verdadeiro susto. O preço da carne bovina subiu consideravelmente e já bateu todos os recordes no Brasil. Alguns cortes tiveram aumento de até 50%.

A instabilidade no preço tem preocupado até mesmo os comerciantes do ramo que tiveram que repassar a alta para o consumidor final. Um dos motivos para o valor que sobe a cada dia, é o aumento de exportações para a China. Além de sofrer com a peste africana no final de 2018 e até hoje importar carne do Brasil, no dia 25 de janeiro o país comemora o início do ano novo chinês. A exportação tem que ser agora pra dar tempo da carne brasileira chegar ao país.

No Brasil há 100 estabelecimentos autorizados a exportar para a China. Segundo o Comércio Exterior do Agronegócio Brasileiro (Agrostat), até agora os chineses importaram do Brasil 318.918 toneladas de carne bovina, 184.393 toneladas de carne suína e 448.833 toneladas de carne de frango, o que ultrapassou R$ 3 bilhões em transações.

Enquanto isso o brasileiro tem que se virar nos 30, como diz o ditado popular. Muitos já correm para comprar a carne suína, mas esta também já está com preço elevado, devido a demanda que cresceu nos últimos dias.

Para ajudar o consumidor a escolher a melhor opção, o Portal GRNEWS conversou com a nutricionista Fernanda Medina, que deu dicas de como trocar a carne bovina por outras proteínas. O valor nutricional continua na mesa e o bolso agradece:


Fernanda Medina
fernandamedcarne1

O prato mais colorido é mais saudável, mas é preciso estar atento à forma como o alimento é preparado. As frituras devem ser evitadas e o ideal é fazer assado ou grelhado, o que mantém também os valores nutricionais dos alimentos:

Fernanda Medina
fernandamedcarne2

O brasileiro terá que se acostumar a ficar um tempo sem a carne bovina, se não quiser pagar mais caro. É que segundo especialistas, a China continuará por muitos meses importando do Brasil e a tendência é que por causa da demanda, o preço do suíno e do frango também suba. Daí a importância de pesquisar e negociar.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!