Antônio Júlio diz que vai tentar pagar 13º dos servidores municipais, mas adianta que não está fácil

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

antonio_julio_de_faria
Certamente, esta afirmação do prefeito Antônio Júlio de Faria esta não é a notícia que o servidor público municipal lotado na Prefeitura de Pará de Minas gostaria de ouvir.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O assunto não sai de pauta deste o segundo semestre de 2012, quando a situação financeira do país começou a entrar em colapso. As prefeituras brasileiras foram as primeiras a sofrer as consequências.

Á época os prefeitos já argumentavam que o governo federal estava tentando aparecer para os brasileiros, impondo sacrifícios aos gestores municipais devido as quedas nas receitas.

Um dos pontos mais questionados pelos prefeitos e economistas se refere às isenções de IPI para aquisição de carros zero quilômetro, móveis, eletroeletrônicos da chamada linha branca, entre outras benesses que estão custando caro quatro anos depois.

Já em dezembro de 2012 a situação nas prefeituras era crítica. Tantos que muitos servidores ficaram sem receber salários e reclamaram que tinham aproveitado a isenção do IPI para comprar um carro zero, mas não podiam trafegar pelas vias esburacadas dos municípios que estavam sem dinheiro para a operação tapa-buracos.

Diziam também que haviam aproveitado a redução no IPI para comprar um eletroeletrônico, mas acabaram pagando mais caro. Isso porque, as prefeituras começaram a atrasar os salários e sempre pagavam as parcelas atrasadas e consequentemente com juros altos.

Nos últimos meses de 2012 o então prefeito de Pará de Minas Zezé Porfírio foi forçado a cortar muitos gastos, como repasse que vinha fazendo há anos para o Hospital Nossa Senhora da Conceição e corte da verba que ajudava a custear o transporte de estudantes que cursavam ensino superior em cidades vizinhas, dentre outros cortes.

Zezé Porfírio também não deu conta de pagar três salários em um prazo de 30 dias, ou seja, entre 30 de novembro e 30 de dezembro de 2012. Na época a prefeitura creditava o dinheiro dos vencimentos no dia 30 de cada mês. Ele lamentou não ter conseguido pagar tudo.

O salário de dezembro ficou para ser pago na gestão de seu sucessor Antônio Júlio de Faria, que fez o pagamento referente a dezembro de 2012, no dia 15 de janeiro de
2013.

De lá para cá a situação financeira das prefeituras continuou apertada. Muitos afirmam que até piorou. Justamente neste ponto é que a notícia não é boa para os servidores públicos da Prefeitura de Pará de Minas,que pode passar por situação semelhante a vivida no final de 2012, com salário atrasado.

O prefeito Antônio Júlio de Faria disse a reportagem do Portal GRNEWS nesta terça-feira, 25 de outubro, que está fazendo contas e tudo que é possível para tentar pagar o 13º salário dos servidores. Porém, ele adianta que não está fácil fechar a conta e juntar o montante necessário para fazer o pagamento:

Antônio Júlio de Faria
antoniojuliodefaria13salario1

Na gestão do prefeito Antônio Júlio de Faria o servidor da Prefeitura de Pará de Minas passou a receber no quinto dia útil do mês, mesma data da maioria dos trabalhadores brasileiros. Desta forma, até o dia 7 de dezembro ele terá que pagar os salários referentes ao mês de novembro.

Ainda em dezembro, vai tentar pagar o 13º salário e não se sabe se Antônio Júlio de Faria conseguirá deixar dinheiro em caixa para que o prefeito eleito Elias Diniz efetue o pagamento referente ao mês de dezembro de 2016, até o dia 6 de janeiro de 2017.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!