Equipe continua trabalhando na construção de adutora no Rio Pará; medidas foram adotadas para conter o Covid-19

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Desde outubro de 2019, está em construção uma adutora no Rio Pará, que trará água até Pará de Minas e abastecerá o município pelos próximos anos, até que o Rio Paraopeba esteja limpo e a água apta para o consumo humano.

A obra foi acordada após um Termo de Compromisso (TC) firmado entre a mineradora, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) através da Promotoria de Meio Ambiente da Comarca de Pará de Minas e a prefeitura de Pará de Minas.

O investimento vai girar em torno de R$ 134 milhões e até o fim de janeiro, 45% da construção estava pronta. A previsão é entregar a adutora até julho de 2020.

Porém o Brasil e o mundo enfrentam uma pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e milhares de casos já foram registrados no país. A recomendação do Ministério da Saúde é que as pessoas permaneçam em casa e somente os serviços básicos essenciais continuem funcionando.

Para saber como está a obra e se a previsão é realmente entregar em julho, mesmo após a pandemia, o Portal GRNEWS quis saber da mineradora como está o andamento da obra de construção da adutora que transportará água do Rio Pará até a Estação de Tratamento de Água (ETA), da concessionária Águas de Pará de Minas, localizada no bairro Nossa Senhora das Graças.

A resposta veio por meio de nota, na qual a assessoria de comunicação da Vale informa que a “manutenção das atividades nesse momento crítico faz-se necessária para contribuir para a garantia de abastecimento de água em Pará de Minas.

E por causa da propagação do novo coronavírus, a Vale está adotando uma série de medidas preventivas para proteger a saúde da comunidade e dos trabalhadores envolvidos nas obras.

Ainda conforme a assessoria, parte da equipe administrativa está trabalhando de casa. Já na obra de construção da adutora no Rio Pará, há um protocolo mínimo de acesso às obras, com aferição de temperatura corporal e entrevista médica com 100% do efetivo; aumento do espaço entre as pessoas nos ônibus e refeitórios; reforço na higienização dos ônibus, equipamentos e instalações; disponibilização de álcool em gel na entrada dos ônibus; adoção de quarentena imediata para pessoas que apresentarem algum sintoma; e cancelamento de eventos e reuniões para evitar aglomeração de pessoas.

Além disso, os funcionários que retornarem de viagem nacional ou internacional ficarão trabalhando de casa por 14 dias para monitoramento.

Ainda de acordo com a mineradora, todos os empregados acima de 60 anos foram orientados a ficarem em casa ou em home office e os empregados com doenças crônicas também foram liberados para ficar em casa ou em home office, indiferente a idade ou presença de sintomas.

A assessoria de comunicação da Vale não respondeu se as obras devem ser entregues na data prevista conforme o acordo firmado, em julho de 2020.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!