Polêmica e falta de acordo entre prefeitura e empresário trava rotatória na Avenida Presidente Vargas perto do DEER-MG

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

No mês de julho o Portal GRNEWS acompanhou de perto um impasse entre a Prefeitura de Pará de Minas e um empresário da cidade. Com a revitalização da Avenida Presidente Vargas, o projeto contemplava uma rotatória próxima ao Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem (DEER). Porém o terreno ali pertence a Júlio Maria Guimarães Ferreira e a Prefeitura, no dia 9 de julho, iniciou as obras no local.

Sabendo disso o empresário foi até o local junto com o advogado e solicitou a paralisação da obra. Ele não cedeu o espaço à Prefeitura que segundo ele, sequer o chamou para conversar sobre uma possível desapropriação. As obras seguiram e atualmente estão na Praça Simão da Cunha, que também passará por revitalização.

Com documentos em mãos, o empresário comprovou a posse da área e os comprovantes de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), pago há anos.

Dias depois ele esteve com o prefeito Elias Diniz (PSD), secretários e assessores em uma reunião e ficou definida uma compensação de área, positiva para as duas partes.

O assunto voltou à tona já que até hoje nada foi resolvido. No fim de tarde e início da noite de terça-feira, 22 de outubro, homens e máquinas trabalhavam no terreno, sob supervisão de Júlio Maria Guimarães Ferreira, que falou com a reportagem do Portal GRNEWS nesta quarta (23). Ele disse que o prefeito deu entrevistas afirmando que tudo estava definido, mas ele mesmo não teve nova posição até hoje:

Júlio Maria Guimarães Ferreira
juliomariaterpres1


O terreno, que fica ao lado do DEER-MG, está no nome do empresário que comprova com documentos, inclusive a escritura.

Agora, placas no entorno mostram que a propriedade é privada e ele quer que seus direitos sejam respeitados:

Júlio Maria Guimarães Ferreira
juliomariaterpres2


Na tarde de terça-feira, 22 de outubro, mais um problema envolvendo a área. Júlio Maria autorizou que um clube da cidade tirasse gratuitamente a terra do terreno para colocar no campo de futebol da entidade.

Servidores municipais foram ao local e embargaram. O motivo? A necessidade de pagar taxas para extração da terra:

Júlio Maria Guimarães Ferreira
juliomariaterpres3

O curioso é que a Prefeitura de Pará de Minas autorizou a empreiteira a realizar a obra em um terreno particular sem conversar com o proprietário, que fechou o local. Sem acordo entre as partes, a obra da Avenida Presidente Vargas está chegando ao fim na Praça Simão da Cunha e a rotatória perto do DEER-MG, ponto onde ocorrem muitos acidentes, ainda não saiu do papel.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!