Pará-minenses lotam Câmara Municipal e cobram fim da água amarelada nas torneiras

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

camara_reuniaoaguaglr2
A reunião da Câmara Municipal de Pará de Minas realizada na noite de segunda (22) contou com a presença de um público expressivo que acompanhou toda a explanação sobre os problemas que provocam alteração na coloração da água que está chegando a algumas residências.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

A diretoria da Concessionária Águas de Pará de Minas atendeu a convocação do Poder Legislativo e respondeu aos questionamentos feitos pelos cidadãos e vereadores presentes.

A preocupação é em relação a qualidade da água que vem sendo distribuída nas torneiras. Nos últimos dias parte da população tem reclamado da coloração amarelada da água em suas torneiras.

O vereador Marcos Aurélio dos Santos disse que na época em que a Copasa prestava o serviço de abastecimento na cidade a água nunca chegava em empresas e residências com a cor amarelada e imprópria para consumo humano:

Marcos Aurélio dos Santos
marcaur_agrl

Tiago Contage Damaceno, superintendente da Concessionária Águas de Pará de Minas, respondeu a todos os questionamentos e fez uma apresentação de toda e estrutura que a empresa possui nas diversas concessões conquistadas.

Ele afirmou que o grupo não está acostumado com este tipo de ocorrência e que todas as providências estão sendo tomadas para sanar o problema. A concessionária reafirmou o compromisso com a população pará-minense:

Tiago Contage Damaceno
thgcont_agrl1

camara_reuniaoaguaglr1
Atualmente Pará de Minas conta com mais de 360 mil metros de rede de água e que demanda muitas manutenções devido a falta de investimentos nos últimos anos. O sistema sucateado está passando por alguns reparos e chegará ao padrão ideal:

Tiago Contage Damaceno
thgcont_agrl2

O vereador Silvério Severino Francisco elogiou o público que compareceu a Câmara Municipal para reivindicar seus direitos. Ele lembrou a época em que a Copasa chegou a Pará de Minas e tudo foi feito sem qualquer garantia:

Silvério Severino Francisco
silvsever_agrl

O órgão que seria responsável pela fiscalização e aplicação de penalidades a empresa seria a Arsap – Agência Reguladora de Água e Esgoto. Como ela ainda não foi criada, o prefeito Antônio Júlio de Faria é o responsável pela fiscalização. O chefe do Poder Executivo já notificou a concessionária e cobrou providências.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!