Elias Diniz anuncia cortes de despesas e aquisição de máquinas para manutenção de estradas rurais

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


Após anunciar os nomes dos secretários municipais que farão parte de seu governo a partir do dia 1º de janeiro de 2017, o prefeito eleito de Pará de Minas, Elias Diniz (PSD), abordou alguns assuntos importantes.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

A nova administração começará com 10 secretarias, quatro a menos que a atual administração liderada por Antônio Júlio de Faria (PMDB). Os cortes visam economizar gastos devido à crise financeira. Com esta reestruturação administrativa ele acredita que economizará anualmente aproximadamente R$ 950 mil.

Uma das grandes preocupações da próxima gestão será em relação a crescente dívida do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais (Paraprev). No último relatório apresentado na Câmara Municipal, o Poder Executivo deve mais de R$ 2,3 milhões.

O déficit é relativo à falta de repasses patronais para a autarquia e o parcelamento dos pagamentos, sob o qual incide multas e juros. Elias Diniz afirmou categoricamente que renegociará a dívida e tentará zerá-la:

Elias Diniz
gestaoeliasdiniz1

O prefeito eleito também abordou alguns problemas enfrentados pelo município. Um deles é a questão da mobilidade urbana dentro do plano de expansão de Pará de Minas durante os próximos anos. Ele inclusive anuncia o aporte de emendas parlamentares:

Elias Diniz
gestaoeliasdiniz2

Elias Diniz informa ainda a aquisição de um ônibus, uma patrol, um rolo compactador e um caminhão. Todo o maquinário será utilizado no melhoramento das estradas rurais a partir de janeiro:

Elias Diniz
gestaoeliasdiniz3

O futuro chefe do Poder Executivo Municipal disse será preciso fazer o dever de casa. De acordo com ele é imperativo enxugar a folha de pagamento, evitar o retrabalho, diminuir o número de imóveis alugados e reduzir o pagamento de juros e multas:

Elias Diniz
gestaoeliasdiniz4

Só com a extinção de secretarias e incorporação de outras, a nova gestão espera economizar R$ 59 mil mensais e R$ 950 mil por ano. Em quatro anos esses cortes representarão uma economia de R$3,8 milhões aos cofres públicos.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!