Campanha da Águas de Pará de Minas alerta que lixo não é esgoto

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Atualmente 100% dos imóveis paraminenses são abastecidos pela concessionária Águas de Pará de Minas e 99,7% do esgoto é tratado na cidade, e a empresa está rumo à universalização, com intuito de tratar todo o esgoto gerado no município.

Falando em esgoto, são 335 quilômetros de rede, com 42.217 imóveis ligados à Estação de Tratamento (ETE), localizada no bairro União. Mas a desinformação e também a falta de cuidados tem gerado transtornos. Infelizmente muita gente joga lixo na rede de esgoto, que entope e pode fazer com que toda aquela sujeira volte pra dentro do imóvel.

Por ano a Águas de Pará de Minas precisa fazer cerca de 1.200 desobstruções da rede, média de 100 por mês. Tudo isso porque as pessoas insistem em jogar lixo na pia, no ralo e na descarga do banheiro.

Esta sobrecarga no sistema pode causar problemas, como disse ao Portal GRNEWS o superintendente da concessionária, Rodrigo Assad Macool. A empresa inicia agora uma campanha para conscientizar a população que esgoto não é lugar de lixo:


Rodrigo Assad Macool

rodrigomacoollixoesg1

Os profissionais da concessionária têm notado ainda que em muitos imóveis o Ponto de Ligação, o chamado PL, ou a caixa de inspeção, que ligam o imóvel à rede da rua, são fechados. Ou seja, em algum momento todo o esgoto vai retornar para o imóvel, causando ainda mais problemas para o morador:

Rodrigo Assad Macool
rodrigomacoollixoesg2

A situação está tão complicada que os trabalhadores tem tudo que é material dentro da rede. São sacolas, óleo de cozinha, e até sapatos, dentadura e galinha.


A manutenção é importante para evitar transtornos tanto dentro do imóvel, na rede e quando o esgoto chega à ETE para ser tratado, como destaca Fernando Eduardo Rodrigues Neves Junior, que é coordenador de Serviços:


Fernando Eduardo Rodrigues Neves Junior

fernandoelixoesg1

Carlos Henrique Lara Lázaro é o coordenador de Operações de Água e Esgoto e destaca como estes resíduos comprometem toda a rede. Por mês são retiradas em média oito toneladas de lixo que não poderiam ser descartados de forma errada:


Carlos Henrique Lara Lázaro

carloshlixoesg1

A campanha reforça que não pode ser jogado no vaso sanitário, cabelo, absorvente, ponta de cigarro, papel higiênico, cotonete e fio dental, por exemplo. Já na pia não podem ser despejados restos de comida, pó de cozinha e óleo de cozinha. No caso do óleo, depois que ele esfria, solidifica e se fixa nos canos. Este acumulo de gordura cresce e vai ocupando a tubulação até bloquear a passagem do esgoto.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!