Casos de conjuntivite aumentam em Pará de Minas, afirma farmacêutico

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


Nos últimos dias o número de pessoas procurando as Unidades Básicas de Saúde (UBS) para relatar problemas provocados pela conjuntivite tem aumentado consideravelmente.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

A doença provoca uma irritação ou inflamação da conjuntiva, a pele que recobre a parte branca do olho. Ela pode ser causada por alergias ou por uma infecção bacteriana ou viral.

Os sintomas incluem vermelhidão, coceira e lacrimejamento dos olhos. Também podem ocorrer secreções ou crostas ao redor dos olhos. Ela pode ser extremamente contagiosa e por isso é preciso tomar os devidos cuidados.

O vírus pode ser transmitido pelo contato com as secreções oculares da pessoa infectada. Isso ocorre quando a pessoa coça o olho e depois pega nas mãos de outras pessoas ou objetos compartilhados.

É importante parar de usar lentes de contato enquanto estiver afetado pela conjuntivite. O tratamento pode acelerar o processo de recuperação e os médicos geralmente receitam colírios antibióticos.

De acordo com o farmacêutico e homeopata Rafael Grassi Franco Melgaço, o tempo seco com o vento propaga muitas viroses. Por isso é necessário tomar medidas preventivas para não ser acometido pela doença:


Rafael Grassi Franco Melgaço
surtodeconjuntiviterafaelgrassi1

O tratamento deve ser feito em casa e com uso do colírio prescrito pelo oftalmologista. Também é importante lavar os olhos várias vezes ao dia com soro fisiológico. O ideal seria evitar o contato com outras pessoas e não compartilhar objetos:

Rafael Grassi Franco Melgaço
surtodeconjuntiviterafaelgrassi2

O uso de álcool gel também ajuda a eliminar os vírus. Porém, o ideal é a constante lavagem das mãos, pois elas são a principal forma de transmissão de infecções. Vale lembrar que os colírios só devem ser usados sob prescrição médica.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE