Qual a diferença entre alergia ao leite e intolerância a lactose? Médico explica

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


O cuidado com a alimentação é muito importante para manter o corpo saudável e evitar doenças. O consumo de alimentos saudáveis e uma boa rotina diária contribuem para o bem estar e a disposição para enfrentar desafios cotidianos.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Uma das preocupações de muitos pais atualmente tem sido a intolerância a lactose – o açúcar do leite e seus derivados. Desde pequena a criança está apta a digerir a substância encontrada no leite e em produtos.

Esse açúcar é digerido por meio da enzima lactase, a qual é responsável por quebrar a lactose em glicose para ser absorvida pelo intestino delgado. Quando não ocorre esse processo, a pessoa apresenta alguns sintomas como diarreia, dores de barriga e inchaço no abdômen.

A intolerância pode ser genética ou surgir por causa de cirurgia intestinal, infecções do intestino delgado causadas por vírus ou bactérias, e doenças intestinais como a doença celíaca.

Já a alergia à proteína do leite afeta em torno de 2% e 7,5% de crianças. Trata-se de uma reação adversa contra antígenos do leite de vaca. O sistema imunológico identifica as proteínas do leite de vaca como um agente agressor.

Isso provoca diarreia, gases, cólicas, distensão abdominal, lesões na pele, dificuldade de respirar, pequeno sangramento intestinal, entre outros. Esses sintomas mais comuns aparecem nos primeiros meses de vida.

É o que explica o médico pediatra Serafim Francisco Alves. Ele ressalta que a alergia ao leite de vaca e a intolerância a lactose são problemas distintos. Os casos são comuns e os sintomas geralmente acometem o aparelho digestivo:


Serafim Francisco Alves
alergiaaoleiteserafimfrancisco1

Existe um exame de laboratório que ajuda no diagnóstico de intolerância ou alergia ao leite de vaca. Porém, é importante o acompanhamento médico porque às vezes a criança tem outro problema:

Serafim Francisco Alves
alergiaaoleiteserafimfrancisco2

Em nenhuma hipótese a criança ou adulto deve ser automedicada. É preciso um diagnóstico preciso de um médico para que o tratamento adequado seja ministrado ao paciente.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!