Falta de diálogo, medo e vergonha contribuem para aumento do número de adolescentes grávidas em Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

No início do mês de fevereiro o governo federal lançou a campanha Tudo Tem seu Tempo. Com participação direta dos ministérios da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos; e da Saúde, o objetivo é educar jovens sobre sexo e gravidez na adolescência. O foco da campanha são duas faixas etárias específicas, meninos e meninas abaixo de 15 anos, e os adolescentes entre 15 e 19 anos.

Embora não traga uma mensagem explícita, a estratégia é mostrar aos adolescentes que a abstinência sexual deve fazer parte de uma certa faixa etária. Materiais informativos e vídeos serão distribuídos com os dizeres “Adolescência primeiro, gravidez depois” e “Gravidez não combina com adolescência e traz consequência para a vida toda”.

No final do ano passado, o Portal GRNEWS publicou matéria com a ginecologista e obstetra Caroline Santos Mendonça explicando que as adolescentes paraminenses tem relações sexuais cada vez mais cedo e com isso, aumentam os casos de gravidez e infecções transmissíveis.

Os números continuam cada vez mais altos, já que a maioria destas adolescentes não procuram a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de casa para se consultar com um médico, e por medo, não conversam com os país.

Ao Portal GRNEWS, a enfermeira e diretora do Centro de Atenção à Saúde da Mulher e da Criança (CASMUC) Juliana Machado, explica que a campanha serve também como forma de orientação. Proibir adolescentes de certas ações só fará com que ele tenha ainda mais vontade de agir, por isso conversar é o melhor caminho:

Juliana Machado
julianamacgravadolesc1


Há casos em que o adolescente tem medo de conversar com os responsáveis, por outro lado tem pai e mãe que sente vergonha em falar de sexo com o filho. Por isso há técnicos, enfermeiros, médicos e toda uma rede preparada para orientar os adolescentes:

Juliana Machado
julianamacgravadolesc2

Dados do Ministério da Saúde indicam aproximadamente 18% dos brasileiros nascidos são filhos de mães adolescentes. Em números, isso representa 400 mil pessoas por ano. A melhor forma de prevenir é usando a camisinha, disponível gratuitamente em todas as UBS. Além de evitar uma gravidez indesejada, o preservativo também protege contra as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST).

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!