Agentes realizam levantamento do índice de infestação do Aedes aegypti e podem visitar até duas mil casas em Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O combate ao mosquito Aedes aegypti transmissor da Dengue, Zika vírus, Febre Chikungunya e até Febre Amarela nas áreas urbanas, continua sendo um grande desafio para os municípios brasileiros. As pessoas envolvidas no processo afirmam que somente o poder público não consegue derrotar o mosquito. Cobram maior envolvimento da população uma vez que a maior parte dos focos está dentro das residências.


Muitos cidadãos não se preocupam com o trabalho preventivo e depois quando surgem casos de Dengue são os primeiros a questionarem as ações do poder público, mesmo não fazendo a parte deles. É simples, basta reservar alguns minutos semanais para verificar se existe algum objeto que possa acumular água para em seus quintais. Caso sejam encontrados é só eliminá-los, mesmo que seja uma tampinha de garrafa.


No município de Pará de Minas a Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Departamento de Vigilância em Saúde, vem realizando mutirões de limpeza semanais em vários bairros da cidade desde Dezembro de 2018 na tentativa de eliminar materiais que possam facilitar a proliferação do Aedes aegypti.


Em alguns bairros as equipes recolhem uma quantidade considerável de materiais, em outros nem tanto. Para se ter uma ideia o mutirão foi realizado nos dias 10 e 11 de Janeiro nos bairros Nossa Senhora de Fátima e Nossa Senhora de Lourdes. Mas das 7 até as 13 horas as equipes haviam recolhido apenas duas toneladas de entulhos, número considerado baixo para esses bairros muito populosos que ficam perto da área central da cidade. A reportagem do Portal GRNEWS percorreu muitas ruas dos bairros na manhã do dia 10 de janeiro e constatou que os moradores não colocaram os materiais para fora de casa para serem recolhidos, deixando a dúvida se faltou colaboração por parte dos moradores ou se todos os quintais estão limpos.


A situação no município é preocupante porque no passado os paraminenses enfrentaram duas epidemias de Dengue, que lotaram as unidades de saúde e causaram mortes de pessoas que foram contaminadas pelo mosquito transmissor da doença.

O último Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) foi realizado no mês de Outubro de 2018 e o número não foi nada satisfatório, fechando em 2% de infestação. Houve acréscimo em relação ao anterior que havia sido de 1,3%. O índice preconizado pelo Ministério da Saúde para afastar risco de epidemia é inferior a 1%.


Na segunda-feira, 14 de Janeiro, as equipes de agentes de Combate a Endemias iniciaram novo ciclo do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa).

Nesta terça (15) a reportagem do Portal GRNEWS acompanhou o trabalho dos agentes no bairro Recanto da Lagoa, sendo que as residências visitadas são determinadas pela Gerência Regional de Saúde sediada em Divinópolis e devem ser visitadas entre 1.700 e 2.000 casas.

O gerente de Combate a Endemias Adaílton Antônio Moreira espera que a população colabore para o êxito desse primeiro LIRAa do ano de 2019 e que o índice fique em um patamar adequado:


Adaílton Antônio Moreira
adailtonmoreiralliraa1a

O eletricista Robson de Freitas do Duarte, morador do bairro Recanto da Lagoa, fez questão de abrir sua residência para receber os agentes de Combate a Endemias. Ele valoriza o trabalho, principalmente porque orienta aos moradores sobre as providências a serem tomadas para combater ou evitar a proliferação do mosquito:


Robson de Freitas Duarte
robsonliraa1a


Após visitar todas as residências sorteadas pela Gerência Regional de Saúde em Pará de Minas, o Departamento de Vigilância em Saúde vai divulgar o resultado do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), mas ainda não foi especificada a data para que isso aconteça.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

Don`t copy text!