Pará de Minas seguirá regras do governo de MG após receber notificação; idosa de Tavares com Covid-19 morre em BH

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Durante reunião por videoconferência realizada pelos integrantes do Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde da COVID-19, no fim da tarde desta terça-feira, 14 de julho, o prefeito Elias Diniz (PSD) foi o primeiro a se pronunciar. O Portal GRNEWS acompanhou a reunião e o prefeito falou sobre a situação do novo coronavírus em Pará de Minas e as medidas de prevenção à COVID-19 já realizadas na cidade. Destacou ainda a situação dos usuários da Turi, que têm ficado aglomerados dentro dos ônibus e garantiu em breve uma reunião com a diretoria da concessionária responsável pelo transporte coletivo urbano.

Além disso, citou que as maiores aglomerações ocorrem atualmente na região central e no bairro Padre Libério. Destacou ainda os problemas envolvendo cidadãos assintomáticos que continuam nas ruas por não saberem que contraíram a doença. Importante ressaltar sobre este assunto, que o secretário municipal de Saúde Wagner Magesty disse ao Portal GRNEWS que mesmo as pessoas diagnosticadas com suspeitas de COVID-19 não estão mantendo o isolamento social conforme constatado pelas equipes de saúde do município.

Em seguida o procurador-geral do Município Hernando Fernandes da Silva apresentou as solicitações de vários setores da sociedade. O vereador Dilhermando Rodrigues Filho (PSDB) pediu pela reabertura de salões de festas na cidade.

Hernando Fernandes da Silva também explica a recomendação da Procuradoria-Geral do Estado em fechar o comércio não essencial em todos os municípios após decisão judicial. Ele disse que Pará de Minas ainda não foi intimada pelo Estado e caso seja cumprirá as determinações do governo estadual no plano Minas Consciente.

O procurador também sugeriu um novo decreto determinando proibição de som mecânico nos bares, evitando assim mais aglomeração nestes locais, especialmente aos finais de semana.

Foi informado ainda durante a reunião online que somente na semana passada seis médicos saíram das equipes de saúde da cidade e foram para Belo Horizonte, que paga mais aos profissionais. Na capital o plantonista recebe R$ 1.800,00 durante a pandemia, enquanto o plantão normal seria no valor de R$ 1 mil.

O secretário Municipal de Saúde Wagner Magesty também se pronunciou durante a reunião. Ele falou que em relação à falta de profissionais, o Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) até aumentou o valor do plantonista, passando para R$ 1.400,00 para tentar conseguir profissionais.

Ele confirmou ainda que a paciente diagnosticada com COVID-19 e internada no Hospital Eduardo de Menezes em Belo Horizonte desde o dia 12 de maio faleceu nesta terça-feira, 14 de julho. A idosa, que já tinha comorbidades, chegou a ser transferida para o quarto mas o quadro clínico dela piorou e foi novamente levada para o Centro de Tratamento Intensivo (CTI) onde não resistiu. Ela havia testado positivo para o novo coronavírus e o óbito agora está em investigação. Diante dos fatos e como ela residia no distrito de Tavares de Minas, ela deve ser confirmada como a segunda morte por COVID-19 em Pará de Minas.

Wagner Magesty e Elias Diniz disseram ainda que no fim de semana passado receberam várias ligações denunciando grande aglomeração de pessoas em bares da cidade. Diante disso foi feito um cronograma onde fiscais de várias secretarias irão revezar e fiscalizar com mais rigor estes estabelecimentos. Quem não cumprir as normas será multado e terá os alvarás de localização e funcionamento cassados.

Os membros do Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde da COVID-19 votaram o novo decreto e após várias discussões nenhuma nova flexibilização foi feita. A alteração definida é em relação aos bares que continuam não podendo apresentar shows musicais e agora também “não podem utilizar equipamento mecânico de qualquer natureza, apresentação musical ou qualquer tipo de evento comemorativo que incentive a aglomeração de pessoas”.

O novo decreto, de número 11.178, terá validade até o dia 28 de julho e caso novas medidas precisem ser definidas antes desta data, outra reunião será realizada.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!