Pará de Minas não adere às restrições da onda vermelha e Governo de MG diz que município tem que adotar as medidas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Pará de Minas foi enquadrada pelo Governo de MG na Onda Vermelha tanto pela macrorregião Oeste quanto pela microrregião, da qual é sede. Seguindo o Minas Consciente, as restrições começariam no sábado, 16 de janeiro, onde só serviços essenciais poderiam funcionar pelo menos nos próximos sete dias.

Este é o prazo estipulado pelo plano estadual para analisar as taxas de incidência de casos e leitos ocupados em cada município. Com isso, é feito um estudo que mostra em qual onda determinada região deve ser enquadrada. Se na Verde os números novos de casos registrados estão controlados e na Vermelha a situação está crítica e é preciso com urgência diminuir a incidência.

O Governo de MG divulgou as novas recomendações nesta quinta-feira, 14 de janeiro, e o Portal GRNEWS ouviu o procurador-geral do Município Hernandes Fernandes da Silva. Segundo ele, como há um decreto municipal em vigência, só após o dia 19 de janeiro, é que o Comitê definirá novas medidas:


Hernando Fernandes da Silva

hernanfernnondvermelha1

Ressalta ainda que as decisões sobre ondas são do Estado e não compete ao Município os enquadramentos.

Sobre uma possível saída do Minas Consciente, ele descarta:

Hernando Fernandes da Silva
hernanfernnondvermelha2

Hernando Fernandes da Silva destaca ainda que a saúde é prioridade no município:

Hernando Fernandes da Silva
hernanfernnondvermelha3

Como Pará de Minas aderiu ao Minas Consciente em julho deste ano, o Portal GRNEWS solicitou informações da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedese) a respeito do não cumprimento das medidas recomendadas pelo Estado. Junto à Secretaria de Estado de Saúde (SES), a Sedese é quem analisa a situação das regiões e define as ondas.

Em nota a assessoria de comunicação da Sedese informou que o Governo de Minas elaborou um dos planos mais inovadores do país, o Minas Consciente, para orientar os prefeitos na retomada segura das atividades econômicas. É feito um monitoramento diário sobre a eficácia das decisões tomadas pelos municípios que aderiram ao programa. Semanalmente, o Comitê Extraordinário para o combate ao coronavírus se reúne para analisar a situação, decidindo quando à regressão, avanço ou manutenção das ondas de retomada econômica. Cada atividade é pautada por protocolos rígidos que garantem segurança em saúde.

Sobre a adesão ao Minas Consciente e o não cumprimento das medidas, “a Secretaria de Desenvolvimento Econômico informa que os municípios que optarem pela adesão ao plano deverão seguir todas as orientações que são divulgadas e atualizadas semanalmente. O plano tem como objetivo conduzir a atuação dos municípios de forma coordenada, trazendo mais controle e efetividade para o enfrentamento da situação atual. Por isso, é recomendada a adesão integral ao plano. Nesse sentido, o município que adere ao Minas Consciente deve adotar as medidas que estão determinadas em cada onda. Em caso de ações contrárias às definições do Minas Consciente, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico aciona a Prefeitura para os devidos esclarecimentos”.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!