Banco de Sangue do HNSC pede socorro para captar doadores

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

banco_de_sangue111016
O município de Pará de Minas convive há anos com promessas de seus gestores de instalar na cidade um Posto Avançado de Coleta de Sangue, para facilitar a captação de doadores.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Entretanto, as promessas não saem do papel. A cada reunião que as autoridades paraminenses realiza junto à direção da Fundação Hemominas, voltam cheios de expectativas e confiantes que a obra será concretizada. Mas não isso nunca ocorreu.

Já se falou em instalar este Posto Avançado de Coleta de Sangue em vários locais, como o andar superior do Pronto Atendimento Municipal José Porfírio de Oliveira, no bairro Senador Valadares e, por último, nas dependências da Faculdade de Pará de Minas (Fapam).

Enquanto o projeto não é executado, a equipe do Banco de Sangue do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) enfrenta sérias dificuldades para manter o estoque e sempre fica em dívida com a Fundação Hemonimas, em Divinópolis.

A cada mês é disponibilizado um ônibus para levar doadores de Pará de Minas até Divinópolis para que possam doar sangue. Mas muitos deles ficam impedidos de fazer a doação em virtude dos compromissos de trabalho. Alguns patrões não liberam seus funcionários porque para isso ele tem que ficar o dia todo fora da empresa. Se esta coleta fosse feita em Pará de Minas seria mais fácil, na avaliação dos responsáveis pela captação de sangue.

O resultado disso é a dificuldade constante do Banco de Sangue do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) de atender a demanda. Nos últimos dias a situação está ainda mais preocupante.

A informação é da Técnica em Hemoterapia e coordenadora do Banco de Sangue do HNSC, Fabíola Nogueira. Ela argumenta que a situação não é tranquila e pede socorro para conseguir doares de sangue O negativo:

fabiola_nogueira111016
Fabíola Nogueira
fabiolanogueira1

Fabíola Nogueira afirma que a situação é a mesma nos outros hemocentros da Fundação Hemoninas. Por isso, fica difícil conseguir este tipo de sangue, quando todos estão com os estoques baixos.

Para tentar mudar este cenário e conseguir doadores, principalmente do sangue O negativo, estão sendo feitas campanhas nas mídias sociais, uma vez que o número de cadastrados não atende a demanda. A situação é urgente e séria:

Fabíola Nogueira
fabiolanogueira2

De acordo com a Portaria 2.712 de 12/11/2013 e a RDC 51, do Ministério da Saúde, estão aptos a doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 69 anos. A idade máxima para a primeira doação é até 60 anos.

Já os adolescentes com 16 e 17 anos somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização por escrito, com firma reconhecida em cartório.

O modelo de autorização está disponível AQUI. Todos os candidatos devem pesar acima de 50 quilos; não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas e não ter tido hepatite após os 11 anos de idade.

Na semana da doação não pode estar tossindo, com ferimentos pelo corpo. Outra exigência é não ter permanecido ou visitado regiões brasileiras endêmicas para Doença de Chagas.

A cada quinze dias um ônibus sai da porta do Hospital Nossa Senhora da Conceição, Centro de Pará de Minas, e segue para a Fundação Hemominas em Divinópolis. O telefone para obter mais informações é o (37) 3233-5461.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!